Vídeo antigo de pessoas furtando botijões de gás no Chile circula como se fosse na Argentina

Um vídeo de pessoas derrubando um portão para levar botijões de gás foi compartilhado mais de 2 mil vezes nas redes sociais desde, pelo menos, 6 de junho de 2022. Nas publicações, a gravação é acompanhada de mensagens irônicas que dizem que o “socialismo deu certo na Argentina”. Mas as imagens não foram gravadas neste país, e sim no Chile, em 2019, ano marcado por protestos intensos contra o governo do então presidente Sebastián Piñera.

“O socialismo na Argentina deu certo! O gás é de graça para todos, basta ter um pouquinho de disposição pra ir buscar. Abra os olhos Brasileiros!”, diz uma das postagens no Twitter. O conteúdo circulou também no Facebook, Instagram e Kwai.

O vídeo, vinculado à alegação de que teria sido filmado na Argentina, circula desde 2021.

Captura de tela feita em 8 de junho de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

No entanto, buscas reversas por um dos trechos da sequência usando a ferramenta InVID We Verify* no Google levaram ao mesmo vídeo, publicado em 20 de outubro de 2019, com a legenda: “Gasco! #ChileEnCrisis #saqueo #gas”.

A palavra “Gasco”, citada na legenda, também pode ser vista na gravação, após 1 minuto e 26 segundos de vídeo, em um muro. O termo é o nome de uma empresa chilena de distribuição de gás.

Uma nova pesquisa, dessa vez pelos termos “gasco”, “Chile” e o número “2302”, que também aparece no muro visto na gravação, levaram ao endereço da companhia de gás em Santiago, localizada na Av. Eyzaguirre 2302, Puente Alto.

Usando o recurso Street View do Google Maps, é possível perceber que a localização coincide com o local exibido no vídeo:

Comparação feita em 8 de junho de 2022 entre uma das publicações virais (E) e a captura de tela do Google Maps ( . / )

O vídeo também foi localizado no YouTube, com data de 21 de outubro de 2019, intitulado “Roubo em gasco em Santiago do Chile”, com a legenda, em tradução livre do espanhol: “Pessoas que se aproveitam dos protestos roubam botijões de gás em uma filial da gasco”.

Em outubro de 2019, uma série de intensos protestos começou no Chile contra o governo do então presidente Sebastián Piñera. Inicialmente, as manifestações foram motivadas por um aumento na tarifa do metrô na capital Santiago, mas depois as reivindicações foram ampliadas e os manifestantes passaram a pedir mais políticas sociais, como reportado pela AFP à época:

Conteúdo semelhante foi verificado pela Agência Lupa.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos