Vídeo: Cachorro ajuda funcionários de barraca a distribuir mesas para banhistas na praia

·2 min de leitura

RIO — Um cachorro ganhou as redes sociais ao ser flagrado por um banhista ajudando funcionários de uma barraca na praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio. O vídeo que viralizou mostra o cão, conhecido como “Som”, levando mesas aos clientes que estão nas areias carioca do posto 9.

— Todo mundo adora o Som. Nunca ouvimos nenhuma reclamação em relação a ele e achamos legal ter repercutido desse jeito, pois para nós já é comum termos ele conosco, tem um tempo — disse Letícia Alves, de 22 anos, que também administra a rede social da barraca Menor e Willy 76.

Morador da comunidade do Vidigal, o senhor João Batista, é o dono do animal e um dos funcionários da barraca.

— Deram o cachorro para ele a mais ou menos 7 anos. A princípio ele queria doar, mas ficar com ele (o cachorro) foi a melhor coisa que aconteceu — contou Marlyson Willy, de 32 anos, trabalha com João.

Segundo Willy, incialmente, o cachorro acompanhava João nos atendimentos e depois passou a levar alguns itens, além de vigiar as bebidas para não serem roubadas.

— Como ele trabalha com a barraca, o cachorro passou a observar isso dele de buscar e levar guarda sol, mesa e cadeira. Até que um dia, ele pediu para cachorro levar e ele levou. Começou com coisas pequenas — contou.

Nas imagens que viralizaram o banhista, que fez o vídeo, ainda descreve: “Além de ser muito bem treinado, ainda recebe seu salário em petiscos”.

Além de Som, há outro animal conhecido como “DJ” que também frequenta a praia. Apesar dos dois estarem com a vacinação em dia, o tutor do animal conta com ajuda de doações.

Compartilhado também pelo Instagram do estabelecimento, alguns internautas elogiaram e mostraram interesse de conhecer o local, devido a fofura do animal. Não faltaram comentários sobre o cachorrinho. Uma internauta escreveu que faz questão de pagar “os 10%” (taxa normalmente cobrado pelo serviço executado) para o cãozinho. Outros usuários também alertaram a areia quente que poderia queimar as patas do animal.

— Nós molhamos a areia para não ficar tão quente, e ele não fica o tempo todo levando os itens. Ele passa a maior parte do tempo na barraca e na sombra — explicou Letícia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos