Vídeo de conflito na fronteira do Brasil com a Venezuela é de 2018, não 2022

É falso que o vídeo mostrando um conflito na fronteira da Venezuela com o Brasil seja um registro de novembro de 2022 de detentos soltos pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Publicações com essa alegação foram compartilhadas centenas de vezes nas redes sociais desde o último dia 7 de novembro. Na verdade, a sequência compartilhada é de 2018, quando foram registrados casos de violência entre imigrantes e habitantes da cidade de Pacaraima, em Roraima.

“Guerra no Brasil. Nicolás Maduro soltou os presos da Venezuela pra invadir Roraima”, diz texto sobreposto às imagens compartilhadas no Twitter, Facebook, Kwai e TikTok. O vídeo também foi encaminhado ao WhatsApp do AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar conteúdos vistos em redes sociais, caso duvidem de sua veracidade.

Na gravação, é possível ouvir uma pessoa dizendo: “Venezuelano lá em cima do morro atacando o povo brasileiro, jogando pedra lá de cima contra a nossa população aqui em Pacaraima”.

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

Algumas das versões viralizadas são acompanhadas pela frase “Faz o L agora”, em referência ao gesto usado por apoiadores de Lula, sugerindo que o episódio teria ocorrido após vitória do petista nas eleições de 2022.

Mas uma busca por palavras-chave mostra como resultado reportagens publicadas em agosto de 2018 (1, 2) sobre o conflito migratório em Pacaraima, cidade brasileira localizada em Roraima citada no vídeo e que faz fronteira com a Venezuela.

Na época, um perfil local compartilhou uma sequência com cenas semelhantes aos do conteúdo viralizado em 2022, apenas vistas de um ângulo mais aberto.

Na gravação de pouco mais de um minuto também ouve-se uma descrição muito parecida à identificada no vídeo viral: “Tá o pessoal jogando pedra lá de cima e a população agora subindo ali a serra. A população vai de encontro aos venezuelanos com paus, pedras… Podemos até, que Deus o livre, ter um homicídio nesse exato momento que estou filmando aqui”.

De fato, em agosto de 2018 foram registrados episódios de violência envolvendo moradores de Pacaraima e refugiados venezuelanos. O assalto a um comerciante local por imigrantes (1, 2, 3) teria motivado os protestos contra a presença de refugiados e se intensificado nos dias posteriores.

No mesmo ano, o Exército Brasileiro deu início à Operação Acolhida, criada pelo ex-presidente Michel Temer (2016-2018), para atender refugiados e imigrantes que fugiam da crise humanitária no país vizinho.

Em 17 de novembro de 2022, o grupo da Operação que coordena os Postos de Triagem em Pacaraima (RR) afirmou à AFP que atualmente não há registro de manifestações na rodovia BR-174 no trecho da fronteira entre o Brasil e a Venezuela.

“Os vídeos de manifestação em Pacaraima que estão circulando nas redes sociais ocorreram há quatro anos e não condizem com a situação atual do município. A fronteira encontra-se na situação de normalidade”, completou.