Vídeo de indígenas com faixa pró-Bolsonaro é de ritual fúnebre no Xingu

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um tuíte do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) com vídeo de dois indígenas segurando faixa a favor de Jair Bolsonaro (PL) em meio a centenas de indígenas engana ao afirmar que se tratava de uma "indiociata". O conteúdo sugere que todas as pessoas que aparecem na gravação estavam se manifestando a favor do presidente, o que é falso.

O vídeo mostra o Quarup, ritual sagrado que homenageia os mortos, realizado em 21 de agosto pelo povo mehinako, que vive no Território Indígena do Xingu, no Mato Grosso. Segundo fontes ouvidas pela reportagem, os dois indígenas que aparecem segurando uma faixa com a bandeira nacional e a foto de Jair Bolsonaro onde se lê "Meu partido é o Brasil" são kamaiurás, convidados a participar da cerimônia.

Os apoiadores de Bolsonaro eram poucos indígenas e a faixa representava a opinião deles apenas, não a de todos os participantes.

Nesta sexta-feira (2), a Atix (Associação Terra Indígena Xingu), que representa 16 povos do território, emitiu nota de repúdio contra o conteúdo enganoso, que viralizou a partir do tuíte de Carlos Bolsonaro.

No texto, a organização diz que o uso do vídeo de forma eleitoreira "demonstra o total desrespeito pelas manifestações sagradas do povo xinguano". Destaca ainda que os mortos homenageados no ritual foram vítimas da Covid-19, "para as quais o atual governo omitiu atenção".

Postado em 31 de agosto, o tuíte de Carlos Bolsonaro foi visualizado 314,7 mil vezes até 2 de setembro.