Vídeo de indígenas protestando em Brasília em 2021 circula relacionado às eleições de 2022

A gravação de uma manifestação indígena em Brasília não tem qualquer relação com o resultado das eleições presidenciais de 2022, das quais Luiz Inácio Lula da Silva (PT) saiu vencedor. Apesar disso, usuários compartilharam o vídeo mais de 15 mil vezes desde 7 de novembro alegando que o ato seria atual. Mas a gravação data de 2021 e, no registro original, podem-se ver cartazes com faixas verde e amarela e os dizeres “terra protegida”, também identificados em um protesto contra o chamado “marco temporal”.

“‘Marcha da resistência’, nossos irmãos indígenas manifestando sua insatisfação com o retorno ao poder da quadrilha petista sob o comando do maior corrupto do Brasil, o homem que vilipendiou os cofres públicos e enlameou a democracia”, diz uma das publicações que circulam no Twitter, TikTok, Kwai e Facebook.

Em outro tuíte, com mais de 6 mil compartilhamentos, um usuário afirma que o protesto teria acontecido na data de sua postagem, 7 de novembro de 2022, e que os indígenas estariam lá por não aceitarem o retorno do PT à Presidência da República sob a figura de Lula.

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

As publicações são acompanhadas por um vídeo que mostra indígenas caminhando e segurando cartazes. As postagens ganharam tração no momento em acontecem protestos em algumas partes do país contestando os resultados das eleições de 2022.

Mas a sequência não tem nenhuma relação com o pleito deste ano.

Protesto contra o marco temporal

Através da marca d’água presente no vídeo, o AFP Checamos conseguiu localizar a publicação original no TikTok, cuja data é 25 de agosto de 2021. Portanto, mais de um ano antes dos protestos que contestam a vitória de Lula.

Aos cinco segundos da sequência é possível ver um cartaz com faixas verde e amarela e os dizeres “terra protegida”.

Por meio de uma busca por palavras-chave no Google Imagens, o AFP Checamos encontrou cartazes semelhantes em uma matéria no site do Senado a respeito de uma manifestação que aconteceu em 25 de agosto de 2021, mesma data da publicação do vídeo original.

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2022 de um vídeo no TikTok ( .)

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2022 de matéria publicada no site do Senado em 25 de agosto de 2021 ( .)

 

 

Naquele dia, cerca de 6 mil indígenas se reuniram em Brasília para protestar contra o marco temporal, que seria julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e poderia colocar em xeque centenas de terras indígenas pendentes de demarcação no país.

Em 15 de setembro de 2021, o julgamento foi suspenso pelo tribunal. Um ano depois, representantes indígenas se encontraram com a ministra Rosa Weber depois que ela tomou posse da presidência do STF. No encontro, a ministra prometeu que iria colocar o processo em pauta na sua gestão.