Vídeo de Lula falando em comprar voto de baianos por 10 reais foi manipulado

Uma gravação em que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) diz ser viável comprar votos de baianos por 10 reais foi editado e as falas do petista, tiradas de contexto. As postagens, que acumulam mais de 5 mil compartilhamentos e circulam desde agosto de 2017, misturam declarações dadas durante uma entrevista à Rádio Metrópoles, de Salvador. No registro original, o ex-presidente falava sobre a recuperação da economia brasileira e o estímulo ao consumo de classes mais pobres, sem insinuar a compra de votos.

“LULA diz que comprou voto de Baiano POR 10 REAIS”, indica uma das publicações compartilhadas no Facebook, Twitter, Kwai, Helo, YouTube e TikTok.

Ao longo da gravação, ouve-se o ex-presidente afirmar que, se for candidato, será “para ganhar”, e que contará com a ajuda do povo baiano porque no estado da Bahia “você dá dez reais pro pobre” e ele “vira um consumidor”.

Outras postagens acrescentam um trecho em que Lula afirma que “vai pegar 100 bilhões da nossa reserva” e “300 bilhões do compulsório”, e que está “apanhando que nem cachorro vira-lata”.

Em uma terceira versão dessa sequência, enviada ao WhatsApp da AFP para verificação, o petista ainda teria dito que o seu partido seria uma “organização criminosa”.

Captura de tela feita em 5 de setembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

Por meio de uma busca reversa por capturas de tela usando a ferramenta InVid-WeVerify* chegou-se ao vídeo da entrevista completa (1, 2), veiculada pela Rádio Metrópole de Salvador em 18 de agosto de 2017.

Na sequência original, o ex-presidente falava que, para recuperar a economia, seria preciso estimular o consumo entre os mais pobres: “Vamos dar uma chance ao povo de resolver o seu problema, vamos incluí-lo no mercado. Você dá 10 reais pro pobre, ele vira consumidor, você dá 10 milhões pro rico e vira uma conta bancária”.

Outras partes da entrevista de Lula também foram tiradas de contexto nas publicações virais. Aos 37 minutos, o entrevistador pergunta ao ex-presidente quem seria o candidato do PT caso a sua candidatura fosse invalidada nas eleições presidenciais de 2018. Lula, em seguida, diz que se for candidato, será “candidato pra ganhar” e que contaria com a ajuda do “povo baiano”, que teria “um carinho imenso” por ele.

Em um terceiro momento, ao apontar que estava “apanhando que nem cachorro”, Lula se referia aos ataques que, segundo ele, recebia diariamente da imprensa brasileira naquele momento.

Em alguns vídeos virais há, ainda, um trecho em que o petista aponta as cifras de 100 bilhões e 300 bilhões de reais. Na entrevista original, Lula afirma que, em um possível governo, “pegaria” 100 bilhões de reais da reserva do país ou 300 bilhões de reais do “compulsório”, sem explicitar ao que se referia, para investir em obras de infraestrutura no país.

A entrevista à Rádio Metrópoles foi concedida cerca de oito meses antes da prisão do ex-presidente em decorrência de processos da Operação Lava Jato. Nas eleições gerais de 2018, Lula não pôde concorrer porque teve a sua candidatura indeferida com base na Lei da Ficha Limpa.

Lula diz que PT é “organização criminosa”?

Em outra versão da mesma entrevista, o ex-presidente supostamente diz que o Partido dos Trabalhadores (PT) é uma organização criminosa e afirma, na terceira pessoa, que o “Lula, como era a pessoa mais famosa da organização criminosa”, seria o chefe.

Na verdade, o petista estava defendendo a tese de que esse era o pensamento que integrantes da Operação Lava Jato tinham em relação a ele e seu partido.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.