Vídeo mostra a captura no México do narcotraficante Rafael Caro Quintero, um dos mais procurados pelo FBI

Escondido em uma área de mata, o narcotraficante Rafael Caro Quintero, de 69 anos, foi preso por militares mexicanos, nesta sexta-feira, após ser localizado por um cão farejador. Na lista dos 10 fugitivos mais procurados do FBI, ele tentou se esconder após perceber a chegada dos agentes á sua fazenda, no município mexicano de Choix, em Sinaloa.

Rafael Caro Quintero: Chefe de cartel na lista de mais procurados do FBI é preso no México

Guerra: Vídeo mostra últimos momentos de criança com síndrome de Down vítima de ataque russo na Ucrânia

Conhecido como o "narco dos narcos", Quintero foi um dos fundadores do cartel de Guadalajara, grupo que teve seu auge nos anos 70 e 80. Ele estava foragido há nove anos e, desde 1985, era considerado um dos principais alvos da justiça norte-americana.

De acordo com o jornal "La Jornada", o narcotraficante estava escondido em uma fazenda e, ao perceber a chegada das autoridades federais, tentou fugir pelo mato. Outras pessoas foram presas na propriedade, mas as autoridades locais não divulgaram quantas.

'Pablo Escobar brasileiro': Hungria pede documentos ao Brasil para extraditar traficante conhecido como

A polícia mexicana informou que Quintero "foi encontrado no mato por um cão, de nome Max, cujo treino de busca e salvamento permitiu a sua localização".

Após a captura, as autoridades mexicanas tentaram realizar a extradição imediata de Quintero para os Estados Unidos. No entanto, a Procuradoria Geral da República (FGR) informou que o narcotraficante permanece detido no Centro Federal de Readaptação Social, em Almoloya de Juárez, e passará por uma audiência judicial.

Na tentativa de capturar Quintero, a agência antidrogas dos Estados Unidos (DEA) havia oferecido uma recompensa de 20 milhões de dólares, a mais alta já oferecida por um criminoso mexicano.

Quintero chegou a ser capturado em 1985 por ser o mandante do assassinato do agente do DEA Enrique "Kiki" Camarena. O narcotraficante considerava o policial americano culpado por uma operação que encontrou uma plantação de maconha do cartel. Ele ordenou, então, o sequestro de Camarena, que foi torturado e executado.

Na época, ele recebeu uma condenação de 40 anos de prisão. Ele cumpriu a pena em uma cadeia mexicana e foi liberado em 2013 após uma decisão de uma corte de apelação.

A sua libertação provocou forte reação entre autoridades americanas e mexicanas. A decisão acabou revertida pela Suprema Corte do México. Caro Quintero, no entanto, já havia desaparecido e escapou da prisão.

Desde então, ele foi apontado por autoridades dos EUA como sendo um dos líderes responsáveis por comandar o cartel de Sinaloa depois da prisão de El Chapo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos