Vídeo mostra suspeito de assassinar PMs saindo de buraco logo após o crime

·3 minuto de leitura
viatura (1).jpg

RIO — Um vídeo de uma câmera de segurança revela que um suspeito de matar dois policiais militares, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na noite do dia 16 de junho, havia sido abordado e liberado pelos mesmos agentes, pouco mais de uma hora antes do duplo assassinato. As imagens mostram que ele esperou os militares irem embora e entrou num buraco de um muro, que dá acesso aos fundos de um local onde a patrulha da PM estava baseada. Às 23h24, logo após os militares serem mortos, o mesmo homem aparece na filmagem arrastando uma mochila bag (do tipo usada por entregadores), onde ele teria guardado um fuzil e uma pistola, roubados das duas vítimas.

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) está tentando identificar o suspeito. Ele é descrito por testemunhas como sendo um homem branco, com altura entre 1,70 m e 1,75m, e que usava uma motocicleta azul, sem placa.

Além do telefone do Disque-Denúncia(2253-1177) , a especializada colocou à disposição o número (21-9896-7442 ) para receber , por mensagens de aplicativo, informações sobre o caso. O suspeito aparece pela primeira vez nas imagens às 21h44. Ele para a moto na Rua Vinhais e entra em um buraco que existe no muro de um terreno, que tem sua parte frontal na Rua D, próximo à Rodovia Presidente Dutra, no Bairro da Posse. Às 22h08, dois motoboys passam pela Rua Vinhais e notam a motocicleta encostada na parede. Eles seguem em frente e chamam a policia.

Um minuto depois, a patrulha da PM e os dois motoboys chegam ao local. Os militares descem do carro da PM e inspecionam o veículo, aparentemente abandonado. Seis minutos depois, o suspeito sai do terreno, passa pelo buraco e é abordado pelos PMs. De acordo com a investigação, ele alegou que estava usando o local como banheiro improvisado e foi liberado em seguida. No vídeo, é possível ver os motoboys e os PMs indo embora, enquanto o suspeito permanece ali. Já sozinho, após andar de um lado para outro, ele pega a mochila e volta a entrar pelo mesmo acesso ao terreno.

Pouco depois, a patrulha ficou baseada na Rua D, colada a um muro, onde também há um buraco . Neste local, o cabo Hélder Augusto Gonçalves Silveira, de 37 anos, e o soldado Sérgio Magalhães Belchior, de 31, acabaram sendo surpreendidos por trás, possivelmente por alguém que estava no terreno, e que fez os disparos. Os dois foram levados para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, mas não resistiram aos ferimentos.

Às 23h24, pouco depois do crime acontecer, o suspeito é flagrado saindo do buraco da Rua Vinhais, arrastando a mochila bag, onde segundo a polícia, poderia estar o fuzil e a pistola roubado dos militares.Nesta sexta-feira, a reportagem voltou ao local onde os PMs foram mortos. Moradores disseram que, depois que ao anoitecer, os buracos nos muros da Rua D e da Rua Vinhais costumam ser usados por pessoas não identificadas.

— Muita gente aí sim à noite. Isso aqui fica bem perigoso — disse um morador.

Os policiais que investigam o crime já conseguiram localizar um celular, que pertencia a um dos PMs assassinados, e que havia desaparecido. Ele foi encontrado com um homem que contou ter comprado o aparelho um dia após o assassinato. Ele acabou sendo preso por falso testemunho, e segundo a polícia, também responderá por crime de furto.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos