Vídeo de pescadores protestando em Itajaí em apoio a caminhoneiros circula desde 2018

Uma gravação que mostra embarcações fechando o acesso à região portuária em Itajaí, Santa Catarina, em apoio a manifestações de caminhoneiros não foi registrada em novembro de 2022. A filmagem foi compartilhada mais de 11 mil vezes desde o último dia 18 de novembro em publicações que difundem o vídeo como se fosse atual. Mas a mesma sequência circula desde 2018 na internet e o Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi) confirmou à AFP em 19 de novembro que os pescadores da região não estão fazendo atos de apoio aos caminhoneiros.

“Boca da Barra, em Itajaí/SC está sendo fechada por barcos pesqueiros que aderiram à paralisação dos caminhoneiros”, diz uma das mensagens compartilhadas no Twitter. O conteúdo circula também no Facebook e no Kwai.

Captura de tela feita em 19 de novembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

A filmagem de 28 segundos mostra uma série de embarcações se movimentando em uma região portuária. Ao fundo, uma voz masculina diz: “Boca da Barra, Itajaí, sendo fechada pelos barcos de pesca. Ninguém entra e ninguém sai. Agora, nesse momento, o sindicato da pesca aderindo à greve dos caminhoneiros”.

Sobre as imagens há, ainda, uma mensagem sobreposta: “Urgente: embarcações em Itajaí-SC enfileiram-se em apoio à greve dos caminhoneiros” e o símbolo da página “FolhaPolítica.org”.

O conteúdo foi difundido em meio a notícias de novas mobilizações em 18 e 19 de novembro por parte de caminheiros (1, 2) que apoiam o mandatário Jair Bolsonaro (PL) e contestam a vitória do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2022. Movimentos semelhantes de bloqueios totais ou parciais de rodovias ocorrem desde o resultado do segundo turno, em 30 de outubro.

Uma pesquisa no Google pelas palavras-chave “Itajaí + pescadores + caminhoneiros” levou a diversas reportagens de 2018 a respeito de um protesto de pescadores que ocorreu em maio daquele ano na cidade catarinense (1, 2, 3).

Em maio de 2018, durante o governo de Michel Temer (MDB), caminheiros realizaram uma greve contra o elevado preço dos combustíveis, que paralisou diversos serviços no país.

No YouTube, um vídeo publicado em 24 de maio de 2018 mostra imagens muito semelhantes à do vídeo viral, com o título: “Barcos de pesca se preparam para fechar o Canal de Itajaí”.

Segundo uma reportagem exibida pelo telejornal “Jornal do Almoço - SC” nessa mesma data, cerca de 70 embarcações aderiram a uma manifestação de caminhoneiros à época.

Uma nova pesquisa, usando as palavras-chave “Pescadores aderem à greve dos caminhoneiros folha política” e “Folha Política” - nome do veículo que aparece no vídeo viralizado -, levou a um texto feito pelo meio de comunicação em 24 de maio de 2018, que continha um link para o mesmo vídeo publicado no Youtube:

Naquele ano, o conteúdo também foi difundido em diversas publicações nas redes sociais (1, 2) e por veículos de imprensa.

O AFP Checamos procurou o Sindicato dos Armadores e das Indústrias da Pesca de Itajaí e Região (Sindipi) em 19 de novembro de 2022. A assessoria do sindicato afirmou que “não tem nenhum ato de apoio dos pescadores em Itajaí” e que vídeos antigos têm circulado desde o começo de novembro. “Aqui não acontece nenhum protesto relacionado à pesca alusivo a movimento de caminheiros”, acrescentou.

À época, em maio de 2018, o Sindipi emitiu uma nota afirmando que apoiava a manifestação dos caminhoneiros contra o preço dos combustíveis, acrescentando que os “trabalhadores da pesca também se manifestaram, de maneira silenciosa percorreram o canal do Rio Itajaí-Açu”.