Vídeo promocional sobre sistema de direção autônoma da Tesla foi encenado, diz engenheiro

Veículo elétrico Tesla Model 3 é exibido em Moscou

Por Hyunjoo Jin

(Reuters) - Um vídeo de 2016 que a Tesla usou para promover sua tecnologia de direção autônoma foi encenado para mostrar recursos como parar em um sinal vermelho e acelerar no verde, quando na realidade o sistema não era capaz disso, de acordo com o depoimento de um engenheiro sênior.

O vídeo, que permanece no site da Tesla, foi divulgado em outubro de 2016 e promovido no Twitter pelo presidente-executivo, Elon Musk, como prova de que “Tesla dirige sozinho".

Mas o Model X exibido no vídeo não estava rodando sozinho com a tecnologia implantada pela Tesla, disse Ashok Elluswamy, diretor de software Autopilot da Tesla, na transcrição de um depoimento de julho tomado como prova em um processo contra a Tesla pela morte de uma pessoa em 2018.

O testemunho de Elluswamy representa a primeira vez que um funcionário da Tesla confirmou e detalhou como o vídeo foi produzido.

O vídeo carrega um slogan dizendo: “A pessoa no banco do motorista está lá apenas por motivos legais. Ele não está fazendo nada. O carro está dirigindo sozinho."

Elluswamy disse que a equipe do Autopilot da Tesla decidiu projetar e gravar uma “demonstração das capacidades do sistema” a pedido de Musk.

Elluswamy, Musk e Tesla não responderam a um pedido de comentário.

A tecnologia da Tesla foi projetada para auxiliar nas mudanças de direção, frenagem e mudanças de velocidade e faixa, mas seus recursos “não tornam o veículo autônomo”, diz a empresa em seu site.

Para criar o vídeo, a Tesla usou o mapeamento 3D em uma rota predeterminada de uma casa em Menlo Park, Califórnia, até a então sede da Tesla em Palo Alto, disse ele.

Os motoristas intervieram para assumir o controle nos testes, disse ele. Ao tentar mostrar que o Model X podia estacionar sozinho, sem motorista, um carro de teste bateu em uma cerca no estacionamento da Tesla, disse Elluswamy.

“A intenção do vídeo não era retratar com precisão o que estava disponível para os clientes em 2016. Era retratar o que era possível incorporar ao sistema”, disse Elluswamy, de acordo com uma transcrição de seu depoimento vista pela Reuters.

Quando a Tesla lançou o vídeo, Musk escreveu no Twitter: “Tesla dirige sozinho (sem intervenção humana) através de ruas urbanas para rodovias e depois encontra uma vaga para estacionar.”

A Tesla enfrenta processos e inquérito de autoridades sobre seus sistemas de assistência ao motorista.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos iniciou uma investigação criminal sobre as alegações da Tesla de que seus veículos elétricos podem dirigir sozinhos em 2021, após uma série de colisões, algumas deles fatais, envolvendo o sistema de piloto automático, informou a Reuters.

Quando perguntado se o vídeo de 2016 mostrava o desempenho do sistema Autopilot disponível em um carro de produção na época, Elluswamy disse: "Não mostrava".

Elluswamy testemunhou em um processo contra a Tesla por causa de uma colisão em Mountain View, Califórnia, em 2018, que matou o engenheiro da Apple, Walter Huang.

Andrew McDevitt, o advogado que representa a esposa de Huang e que tomou depoimento de Elluswamy em julho, disse à Reuters que era "obviamente enganoso apresentar aquele vídeo sem nenhum aviso".

O National Transportation Safety Board concluiu em 2020 que a colisão do carro em que Huang estava provavelmente foi causada por sua distração e pelas limitações do piloto automático. Ele disse que o “monitoramento ineficaz do envolvimento do motorista” do veículo Tesla contribuiu para o acidente.

Elluswamy disse que os motoristas podem “enganar o sistema”, fazendo com que o carro avalie que eles estão prestando atenção na condução do veículo quando não estão. Mas ele disse que não via nenhum problema de segurança com o piloto automático se os motoristas estiverem prestando atenção durante o trajeto.