Vídeo de protesto de indígenas contra garimpo ilegal em 2021 é vinculado falsamente às eleições

Um vídeo em que indígenas bloqueiam uma rua de terra batida mostra uma manifestação contra o garimpo ilegal no Pará, em 2021. No entanto, usuários compartilharam o conteúdo mais de 13 mil vezes desde o último dia 7 de novembro alegando que o protesto era pelo presidente Jair Bolsonaro ter obtido “zero votos” na cidade, nas eleições de 2022. Mas, além da gravação ser antiga, o mandatário recebeu, sim, votos na cidade de Jacareacanga.

“Índios que votaram no 22 estão revoltados. Bolsonaro teve zero votos no local”, diz o texto sobreposto às imagens compartilhadas no Facebook, Twitter, TikTok e Linkedin. O vídeo também foi enviado ao WhatsApp da AFP Checamos, para onde os usuários podem enviar conteúdos vistos em redes sociais, se duvidarem de sua veracidade.

No vídeo, um grupo de indígenas cerca um ônibus branco inviabilizando a passagem de carros em uma rua. Ao fundo, escuta-se um homem narrando o episódio: ele sinaliza que a manifestação está ocorrendo na cidade de Jacareacanga e que os indígenas estariam “armados”. Ele acrescenta que o comércio da cidade estaria fechado e “o clima”, tenso.

Captura de tela feita em 10 de novembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

Mas uma busca por palavras-chave no Google e no YouTube mostrou que a gravação não tem qualquer relação com as eleições de 2022, nas quais o atual presidente Jair Bolsonaro foi derrotado em segundo turno pelo ex-mandatário Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O mesmo vídeo havia sido publicado em 16 de junho de 2021 no YouTube, mais de um ano antes do pleito. Na legenda, indica-se que a gravação mostra indígenas da etnia Munduruku “fechando” as vias de Jacareacanga, no Pará, em protesto contra o garimpo na região.

De fato, entre maio e junho de 2021, veículos de imprensa reportaram inúmeros conflitos entre indígenas e garimpeiros em Jacareacanga.

Os Munduruku alegavam que empresários da região tentavam realizar garimpo ilegal em território demarcado. A denúncia foi seguida por atos de depredação contra casas e integrantes da etnia (1, 2, 3). Em 31 de maio daquele ano, a Justiça ordenou que o governo federal enviasse forças de segurança pública para Jacareacanga no intuito de garantir a integridade dos povos indígenas do município.

Outra alegação presente nas publicações virais é de que, no local onde o vídeo foi gravado, teriam sido registrados zero votos para o presidente Jair Bolsonaro, gerando a indignação de seus eleitores na região.

Contudo, como divulgado pelo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o atual presidente recebeu 3.982 votos em Jacareacanga, o equivalente a 46,93% da porcentagem total.