Vídeos nas redes sociais mostram chamas na casa de falecido líder do Irã

(Reuters) - Vídeos mostrando a antiga casa no Irã do falecido fundador da República Islâmica, aiatolá Ruhollah Khomeini, em chamas foram amplamente divulgados nas redes sociais, com ativistas dizendo que foi incendiada por manifestantes.

A Reuters verificou a localização de dois vídeos usando os arcos e edifícios distintos que correspondem às imagens de arquivo.

A agência de notícias semioficial Tasnim, no entanto, negou que a casa de Khomeini tenha sido incendiada, dizendo que um pequeno número de pessoas se reuniu do lado de fora do local.

Os vídeos nas redes sociais mostram dezenas de pessoas celebrando quando um incêndio repentino é provocado em um edifício.

A Reuters não pôde verificar de forma independente as datas em que os vídeos foram filmados. A rede ativista 1500Tasvir disse que o incidente ocorreu na noite de quinta-feira na cidade natal de Khomeini, Khomein, ao sul da capital Teerã.

A casa havia sido transformada em museu.

"O relato é uma mentira", afirmou a agência de notícias Tasnim, acrescentando: "as portas da casa do falecido fundador da grande revolução estão abertas ao público".

Khomeini morreu em 1989.

Seu sucessor, o aiatolá Ali Khamenei, está sob intensa pressão de protestos em todo o país pedindo sua morte desde o falecimento, em 16 de setembro, da jovem curda iraniana Mahsa Amini sob custódia da polícia moral iraniana.