Vítima da chacina do Jaçanã permanece em estado grave no hospital

Camila Boehm – Repórter da Agência Brasil

Três pessoas feridas por arma de fogo nas chacinas ocorridas em Jaçanã, zona norte da capital paulista, e no Grajaú, zona sul, continuam internadas. Os crimes ocorreram entre a noite de terça-feira (4) e a madrugada de ontem (5).

Um homem de 28 anos, que foi levado para o Hospital do Mandaqui, após ser baleado no Jaçanã, permanece em estado grave desde ontem na unidade de terapia intensiva (UTI), informou a Secretaria de Saúde do estado.

Outro ferido, levado para o Hospital Municipal do Jaçanã (São Luiz Gonzaga) continua na unidade, mas a Secretaria de Saúde do município não deu informações sobre seu estado. O jovem de 21 anos que estava no Hospital Geral de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, recebeu alta ontem (5).

Baleado na mão na chacina do Grajaú, o jovem ferido que foi levado para o Hospital Campo Limpo continuava internado no início da tarde de hoje. Responsável pela unidade, a Secretaria municipal de Saúde também não informou seu estado de saúde.

Investigações

O Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa está investigando as duas chacinas e identificou que as cápsulas apreendidas no local dos crimes, nas zonas norte e sul, são de calibres diferentes. No Jaçanã, as cápsulas eram de calibre 45. No Grajaú, cápsulas de calibre 380 e 9 mm foram recolhidas para perícia.

Em entrevista à Rede Globo ontem, o secretário de Segurança Pública, Mágino Alves, disse que foram usadas armas diferentes. “Com certeza, não são os mesmos autores, porque [os crimes] aconteceram em um momento muito próximo entre um caso e outro, mas o envolvimento de um mesmo grupo criminoso tem que ser investigado.”

A Agência Brasil solicitou entrevista com o secretário, mas não houve retorno até a conclusão da reportagem.