Vítima da Covid-19, Paulo Gustavo doou R$ 500 mil a associação de hospitais durante a pandemia

·3 minuto de leitura

O ator Paulo Gustavo, que faleceu na última terça-feira (4), aos 42 anos, em decorrência da Covid-19, há anos prestava ajuda financeira a instituições filantrópicas. Nos últimos meses, o artista fez diversas doações para auxiliar no combate à pandemia, inclusive um repasse de R$ 500 mil reais a ‘Obras sociais Irmã Dulce’, instituição de Salvador, na Bahia, com o nome da santa brasileira que ele era devoto. Ele também ajudou com R$ 500 mil reais para a compra de oxigênio durante a crise de saúde na cidade de Manaus, no Amazonas, em janeiro de 2021.

Durante a internação do ator, muitos fãs pediram a intercessão da santa brasileira, que enfrentou problema pulmonares ainda em vida. Maria Rita Pontes, superintendente da Obras sociais Irmã Dulce, explicou que o comediante entrou em contato pouco antes de ser intubado:

— Meia hora antes de Paulo ser intubado, ele me mandou uma mensagem pedindo para que solicitássemos a interseção de Santa Dulce por ele, para que o ajudasse a curar o pulmão, enfim, estava precisando da ajuda dela — diz Maria Rita, que recebeu várias ajudas do niteroiense: — No início da pandemia, Paulo me ligou preocupado, perguntando se precisávamos de alguma coisa. Ele, que já estava ajudando comunidades carentes no Rio de Janeiro, nos ajudou com esta grande quantia financeira para adquirirmos equipamentos de proteção individual (EPIs) para funcionários, pacientes, compramos testes rápidos e testes PCR para utilizarmos nas obras sociais.

Esta não foi a única benfeitoria do astro de "Minha mãe é uma peça". Em 2017, Paulo Gustavo financiou a construção de uma unidade de saúde da mesma associação, mas focada em tratamento de pacientes com câncer.

Adeus ao amigo

Amiga do humorista, a cineasta e roteirista Susana Garcia falou sobre o espírito solidário de Paulo Gustavo em uma publicação nas redes sociais, nesta quarta-feira (5). Susana, que visitou o comediante e relatou uma tentativa de interação do ator quando ele estava intubado, destacou a generosidade e preocupação do ator com seus amigos e com as pessoas com quem trabalhou ao longo da carreira. Também contou sobre a doação de oxigênio feita pelo comediante, em sigilo, para o povo manauara.

“Como eu admiro o ser humano que vc é. A sua generosidade me emociona. Você, na pandemia, depositou por três meses, mil reais por mês para quase 120 pessoas que trabalharam nos filmes que nós fizemos. Você mandou um e-mail pra todo mundo das equipes perguntando quem estava precisando de ajuda. E as pessoas foram tão corretas, que várias falaram que estavam conseguindo segurar e que não precisavam. Mas a maioria recebeu essa ajuda. E na crise em Manaus, vc enviou 500 mil reais para compra de oxigênio e nunca divulgou nada. Lembro um dia, antes de vc ser intubado, que vc me disse que estava sentindo muita falta de ar, mesmo com cateter de oxigênio, e que vc estava feliz de ter comprado oxigênio para as pessoas”, diz um trecho do texto escrito por Susana para homenagear o artista.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos