Vítor Pereira reconhece que estratégia inicial do Corinthians contra o Avaí não deu certo

Contra o Avaí, Vítor Pereira chegou ao seu 41º jogo a frente do Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)


O técnico Vítor Pereira tentou escalar o Corinthians com uma formação diferente contra o Avaí, neste sábado (6). No entanto, a escalação com dois atacantes, sendo Gustavo Mosquito o mais avançado, não deu certo, e ainda no primeiro tempo o treinador corintiano voltou o esquema para o tradicional 4-3-3.

+ ATUAÇÕES: Balbuena comete pênalti, mas marca e salva Corinthians de derrota

O resultado final foi o empate em 1 a 1, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Segundo Vítor, a ideia da escalação inicial teve a ver com a escassez de jogadores que atuam aberto em condições de jogo e a necessidade de gerir o elenco para a sequência decisiva contra Flamengo, Palmeiras e Atlético-GO, pela Libertadores, Brasileiro e Copa do Brasil, respectivamente.

+ Confira a tabela do Brasileirão e simule os próximos jogos

- Não entramos muito bem no jogo, tivemos dificuldades. Mudamos a estrutura porque tínhamos que fazer uma gestão para o próximo jogo, contra o Flamengo, e a forma que encontramos foi jogar com dois atacantes, com o Gustavo (Mosquito) centralizado. O adversário estava encontrando o lado contrário, perdemos vários duelos. Depois de alguns minutos voltamos a nossa estrutura, 4-3-3 - destacou o técnico na entrevista coletiva após o jogo.

Ainda assim, VP ressaltou que assim que reparou que a estratégia de atuar com dois atacantes não estava dando certo, com o Corinthians tendo dificuldades de ter a bola e criar chances ofensivas, ele pediu para que os atletas retomassem o posicionamento do estilo que o Timão costuma jogar, com Mosquito abrindo para a direita, Piton pela esquerda e Róger Guedes atuando centralizado.

O treinador corintiano também crê que o pênalti que resultou no primeiro gol do jogo, marcado pelo Avaí, aconteceu quando o Timão estava começando a controlar a partida, restando somente o último passe na construção de jogadas de ataque.

- Começamos a assentar o jogo e no nosso melhor período da primeira parte teve a penalidade em um momento que eu acredito que estávamos a controlar melhor o jogo - destacou Pereira.

No segundo tempo, o Timão evoluiu, buscou o empate e, segundo VP, só não virou o confronto por conta das inúmeras paralisações da partida.

- Fizemos uma segunda parte muito forte. Conseguimos várias situações, e o último passe não entrava. Na segunda parte fomos mais forte, agressivos, defensivamente e ofensivamente, e não conseguimos o melhor resultado porque o jogo teve muitas paradas. Foi um pouco da dificuldade por um jogo onde a intensidade foi quebrada muitas vezes pelo adversário e a nossa própria torcida, na parte final, com essa regra que eu não entendo muito bem - afirmou o português ao se referir aos sinalizadores acesos pelos torcedores corintianos que deixou o confronto parado por alguns minutos nos minutos finais.

SEQUÊNCIA DECISIVA

O técnico do Timão abusou da sinceridade ao dizer que não sabe que competição priorizar. Vice-líder do Brasileirão, agora a três pontos do Palmeiras, que é primeiro colocado, a equipe do Parque São Jorge também está viva nas quartas de final da Copa do Brasil e Libertadores, ainda que em ambas as competições precisa reverter derrotas sofridas no jogo de ida.

- Essa sequência é muito pesada, não sabemos bem que competição priorizar. Queríamos seguir lutando na frente da competição de hoje, sabemos que temos que ir contra o Flamengo e competir pelo melhor resultado possível e reverter a situação negativa que temos no momento, a seguir teremos outro problema, com o Palmeiras em casa, e depois reverter o jogo da Copa. Sinceramente, não é fácil. Chegando ao fim do jogo hoje tínhamos a intenção de gerir o esforço de alguns atletas, mas o resultado diz outra coisa, queremos ganhar o jogo e não vamos tirar naquele momento - comentou Vítor Pereira.

Com o empate fora de casa, o Corinthians reduziu para três pontos a diferença para o líder Palmeiras, mas pode ver essa desvantagem dobrar caso o Verdão bata o Goiás, no Allianz Parque, neste domingo (7).

No entanto, como o Flamengo, atual terceiro colocado, com 36 pontos, já entrou e campo na rodada, e o Fluminense, que está em quarto, tem 35 pontos, não existe chances do Timão perder o segundo lugar do Campeonato Brasileiro nesta rodada.