Vacinação contra Covid-19 evitou ao menos 500 mortes por dia nos meses iniciais de 2021, mostra pesquisa

Uma pesquisa realizada pela consultoria GO Associados a pedido da farmacêutica Pfizer estimou que a vacinação em massa, iniciada no final de janeiro de 2021, foi responsável por reduzir, ao menos, 500 óbitos de brasileiros por dia entre fevereiro e maio do mesmo ano.

A mesma pesquisa indica que, estendendo a lupa até o segundo quadrimestre de vacinação, a média de vidas salvas subiu para 600 por dia.

— Observando o conjunto do país, averiguamos como foi o avanço da vacinação em 2021. Percebemos um benefício concreto de salvamento de vidas ao longo do ano. É o que o nosso exercício de regressão descontínua (um modelo de análise matemática) mostra — explica Gesner Oliveira, professor da Fundação Getúlio Vargas e sócio da GO Associados.

Isabella Ballalai, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBim), presente na coletiva de imprensa organizada pela Pfizer, lembra que a progressão de vacinação brasileira seguiu o ritmo possível na época do início da imunização, quando havia poucas doses de vacina. Ela ainda diz que mesmo num avanço mais lento que a vacinação em massa, a imunização claramente trouxe grandes ganhos ao país.

— Um fato real é que não havia vacina nem para o Brasil nem o mundo vacinar em massa. A vacinação é normalmente assim (iniciada pelos públicos prioritários). Veja, por exemplo a vacina meningocócica, começamos pelas crianças, porque são elas que mais são afetadas com maior taxa de incidência e de mortalidade — diz Isabella.

A mesma pesquisa estende a lupa sobre o investimento nacional com a compra de vacinas. De acordo com informações do Tesouro Nacional, os pesquisadores apontam que o país previu gastar R$ 28 bilhões na compra de vacinas. Um valor que corresponde a 4% do total do gasto nacional de medidas de combate à pandemia. Outro braço do estudo mostra que cada R$ 1 investido em vacinas teve retorno de R$ 9 no PIB.

— É muito raro encontrar uma ferramenta com esse grau de eficiência para controle da pandemia . A vacina combate a pandemia estimulando a economia ao restabelecer a circulação de pessoas — afirma Gesner

Novas vacinas

Na mesma coletiva de imprensa a Pfizer informou que utilizará a tecnologia de sua vacina contra a Covid-19, o chamado RNA mensageiro para dois novos desenvolvimentos de vacina.

--- Estamos recrutando (voluntários) para estudos. Uma delas é para influenza e outra para herpes-zoster, ambas na população adulta. Os "trials" (ensaios clínicos) começaram em dezembro para a vacina de zoster e fevereiro para influenza. Então são pontos ainda iniciais --- conta Julia Spinardi, líder médica de vacinas da Pfizer.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos