Vacinação em Duque de Caxias é marcada por mais um dia de filas e aglomerações

Leonardo Sodré
·2 minuto de leitura

RIO — A vacinação em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, nesse domingo de páscoa, foi de filas de aglomerações. A insistência do prefeito Washington Reis (MDB) em ignorar a recomendação do Ministério Público do Rio de Janeiro para que siga o Plano Nacional de Imunização (PNI) contra a Covid-19 que estabelece os grupos prioritários e liberar a vacinação de toda a população maior de 60 anos, provocou mais vez uma corrida aos postos.

Antes mesmo das 7h, horário marcado para o início da vacinação, o sistema drive thru e a fila de pedestres aguardando a vez na Praça do Rotary, no Jardim Primavera, já era grande. O movimento continuou durante toda a manhã. Na fila de pessoas, muitos aguardavam próximos uns dos outros, com dificuldades para obedecer o distaniamento social. Quem chegou cedo e enfrentou a fila de carros do drive thru esperou até duas horas para vacinar.

— Como o tempo de espera está grande, resolvemos vir em três pessoas vacinar só de uma vez no mesmo carro. O procedimento está até rápido, apesar da fila. É muita gente de uma só vez — disse a aposentada Irma Maia, de 63 anos, acompanhada da cunhada Josimari Silva Monte e da amiga Graça Silva.

A comerciante Ana Claudia Teixeira, de 62 anos, desistiu de se vacinar ao chegar a Praça do Rotary e reclamou da desorganização.

— Estou sem trabalhar, cumprindo o isolamento social em casa, só saiu para o necessário. Pra mim, entrentar essa aglomeração é um risco de não conseguir me vacinar e ainda pegar a Covid — considerou.

A decisão de vacinar maiores de 60 anos de uma só vez e não de forma escalonada, como tem feito os outros municípios da região metropolitana do Rio, fez baixar o estoque de imunizantes na cidade da Baixada Fluminense. O prefeito Washington Reis (MDB) disse ontem que a partir desta segunda-feira o município já não terá mais vacinas para aplicar a primeira dose. Ontem, também houve confusão durante a vacinação. Enquanto oficialmente a prefeitura informava que apenas pessoas a partir de 60 anos iriam receber a primeira dose, funcionários que vacinavam na Praça da Mantiqueira, em Xerém, e em outras unidades, tiveram autorização do próprio prefeito para imunizar pessoas a partir de 55 anos. Neste domingo, enquanto a equipe do GLOBO esteve no posto de vacinação da Praça do Rotary, no Jardim Primavera, só estavam sendo vacinadas pessoas com mais de 60 anos.