Vacinação no Rio: Paes diz que novo cronograma é 'conservador' e fala em réveillon e carnaval em 2022

·1 minuto de leitura

Na divulgação do 19° boletim epidemiológico, no Centro de Operações Rio, nesta sexta-feira (14), o prefeito Eduardo Paes comentou o novo cronograma de vacinação para pessoas sem comorbidades, que se iniciará no dia 31 de maio. Segundo a prefeitura, a meta é vacinar, até o dia 23 de outubro, 4.751.823 cariocas com 18 anos ou mais — o que equivale a 90% da população adulta do Rio. A Secretaria Municipal de Saúde informa que essa porcentagem já chegou a 33%.

Para que o calendário seja cumprido, contudo, é necessário que o Ministério da Saúde mantenha os prazos de entrega anunciados no Programa Nacional de Imunizações (PNI), frisou Paes.

— Claro, isso tudo depende da chegada do imunizante, da chegada da vacina. A gente tem tido estabilidade na entrega da AstraZeneca — disse o prefeito. — Se eu pudesse definir (o sentimento), seria "a gente vai ter Carnaval". Se conseguirmos (cumprir o calendário), vamos ter réveillon, vamos ter Carnaval.

Durante a entrevista coletiva, Paes deixou claro que manterá, enquanto o calendário vigorar, uma postura de cobrança pelo fornecimento das doses prometidas pelo Ministério da Saúde, sobretudo da vacina de Oxford/AstraZeneca.

— Vamos mover montanhas para que esse cronograma consiga ser cumprido. Vamos agir com toda transparência, como temos feito, cobrando o governo federal e o Ministério da Saúde. Quando o Butantan recebe doses na segunda e só há distribuição na quinta, temos atraso de um dia, um atraso angustiante para quem precisa — afirmou.

Segundo Paes, o novo cronograma foi discutido "à exaustão":

— Reparem que pusemos três dias por idade. Não é uma visão excessiva, eu diria que é até conservadora. Nossa capacidade de vacinação é muito maior que essa. Não é um cenário arrojado. Se tivéssemos mais vacinas, teríamos sido ainda mais arrojados — salientou o prefeito.