Vacina, abuso infantil e redes sociais: o que pode virar tema da redação do Enem 2022

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21-11-2021 - Candidatos chegam para o 1º dia de provas do Enem, na Unip da avenida Marquês de São Vicente, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21-11-2021 - Candidatos chegam para o 1º dia de provas do Enem, na Unip da avenida Marquês de São Vicente, em São Paulo. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na reta final para o Enem 2022, é preciso estar preparado não apenas para as provas objetivas, mas também para a redação.

Ela será aplicada no próximo domingo (13), primeiro dia de provas, junto com o teste de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias e o de Ciências Humanas e suas Tecnologias. No domingo seguinte, 20 de novembro, os candidatos realizam as provas Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias.

A redação do Enem obedece a uma estrutura básica, composta pela apresentação do tema, a defesa de um ponto de vista baseada em argumentos e, por fim, uma proposta de intervencao social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto.

Todas as orientações para produzir uma boa redação constam na Cartilha do Participante, disponível no site do Inep.

Apesar de ser um texto dissertativo-argumentativo, ele não propõe ao candidato assumir um lado dentro de um debate, diferentemente de vestibulares mais tradicionais, como o da Fuvest.

"Trata-se de uma situação-problema. Não se espera, portanto, uma tese de opinião, mas uma tese de constatação. Deve-se constatar a gravidade desse problema e tentar resolvê-lo ou atenuá-lo", explica o professor Wellington Borges Costa, coordenador de Redação do curso pré-vestibular Etapa, em São Paulo.

A avaliação é baseada em cinco competências, cada uma valendo 200 pontos:

AS COMPETÊNCIAS AVALIADAS NA REDAÇÃO DO ENEM

Competência 1

Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência 5

Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

Mais do que conseguir ir bem em todas as competências, algo que tira o sono dos candidatos é o tema da redação.

Confiras seis apostas para a edição de 2022 dos professores ouvidos pela reportagem:

DECLÍNIO DA COBERTURA VACINAL

O Brasil, que já foi referência nas campanhas de vacinação, tem amargado números cada vez mais preocupantes na cobertura vacinal. Hoje, corre-se o risco até mesmo do retorno da poliomielite, que já havia sido erradicada. Até o fim de outubro, apenas 61% das crianças menores de cinco anos haviam sido vacinadas contra a pólio, segundo dados do SI-PNI obtidos pela plataforma DataSUS —ainda longe dos 95% necessários.

IMPACTO DA PANDEMIA NA EDUCAÇÃO

A Covid-19 afetou a sociedade em diversos aspectos, incluindo o aumento da evasão escolar. Um estudo feito pelo Ipec, a pedido do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), mostrou que 1 em cada 10 jovens entre 11 e 19 anos abandonou os estudos durante a pandemia e não retornou para a escola no Brasil.

IMPACTO DAS MÍDIAS SOCIAIS

É impossível negar o quanto as redes sociais afetam nossa linguagem e a vida pessoal, profissional, cultural, ainda mais em ano de eleições no Brasil, como foi em 2022. Um levantamento do Datafolha, realizado em julho deste ano, relatou que 53% dos eleitores com contas em redes sociais ou em aplicativos de mensagens diziam já ter mudado de comportamento para evitar atritos com amigos e familiares nos meses anteriores à pesquisa.

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

A crise econômica, que foi ainda mais consolidada com a pandemia, impulsionou o aumento de pessoas trabalhando como entregadores e motoristas de aplicativo —fenômeno conhecido como "uberização". Ao mesmo tempo em que novos empregos surgiram, ocorreu um processo de precarização do trabalho, já que essas pessoas não possuem vínculo empregatício com as empresas para as quais prestam serviço.

MOBILIDADE URBANA

Resolver os problemas de mobilidade urbana no Brasil é um grande desafio. Em São Paulo, por exemplo, só 12% da população com renda de até meio salário mínimo vive a até 1 km de estações de metrô e trem, segundo levantamento realizado pelo ITDP (Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento). O estudo mostra que, para quem ganha mais de três salários mínimos, esse índice sobe para 36%.

ABUSO INFANTIL

Uma pesquisa inédita do Datafolha, encomendada pelo Instituto Liberta, revelou que 1 em cada 3 brasileiros diz ter sido vítima de agressão sexual, física ou verbal na infância ou na adolescência. E, durante o período mais crítico da pandemia, o isolamento social acabou favorecendo a subnotificação de casos, que ocorrem principalmente dentro de casa.

E MAIS: DICAS PARA UMA REDAÇÃO NOTA MIL

Apesar de a organização do Enem deixar bem claro como a redação deve ser estruturada, o professor Eduardo Araujo, do cursinho popular Maximize, em São Paulo, alerta para um problema com o qual tem se deparado na sala de aula.

"Os alunos estão vendo aulas de youtubers que ensinam um 'esquema' para fazer a redação. Só que fica parecendo um preenchimento de campos, textos sem nenhum tipo de reflexão e com um monte de jargão", relata.

O educador explica que é importante se atentar ao que os avaliadores chamam de marca autoral. "Ele tem que mostrar que aprendeu alguma coisa nesses 12 anos de escola. O tema deve ser contextualizado usando uma situação histórica ou conteúdos relacionados à geografia, sociologia ou filosofia", orienta.

Por isso, é crucial ficar atualizado com as notícias e ler bastante para aumentar seu repertório cultural.

Para esta reta final, Araújo dá como dica procurar canais no Youtube que produzem conteúdo confiável em diversas áreas da ciência, como o Nerdologia e Vivieuvi, além da playlist de literatura no canal da Univesp (Universidade Virtual do Estado de São Paulo).

"Acho que é interessante ler redações nota mil de edições anteriores, pelo menos dos últimos cinco anos, e fazer uma espécie de desconstrução do texto, ver como ele começou, desenvolveu e concluiu. O candidato vai perceber uma semelhança muito grande entre as redações", recomenda a professora Maria Aparecida Custódio, do Laboratório de Redação do curso Objetivo, em São Paulo.

Costa, do Etapa, dá uma fica final: "Praticar o máximo que puder para desenvolver a gestão do tempo, que é fundamental. Não basta escrever bem. É preciso escrever o melhor texto possível dentro daquele limite de tempo".

FIQUE ATENTO

A redação receberá nota zero se apresentar pelo menos uma das características abaixo:

Fuga total ou algum trecho deliberadamente desconectado do tema proposto

Desobediência ao tipo de texto dissertativo-argumentativo

Apresentar menos de oito linhas, qualquer que seja o conteúdo, ou menos de 11 linhas em Braille

Cópia de texto(s) da Prova de Redação e/ou do Caderno de Questões sem que haja pelo menos 8 linhas escritas pelo próprio participante

Desenhos e outras formas propositais de anulação, em qualquer parte da folha de redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda)

Números ou sinais gráficos sem função evidente em qualquer parte do texto ou da folha de redação (incluindo os números das linhas na margem esquerda)

Impropérios e outros termos ofensivos, ainda que façam parte do projeto de texto

Assinatura, nome, iniciais, apelido, codinome ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante

Texto escrito em língua estrangeira

Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho

Texto ilegível

Fonte: Cartilha do Participante do Enem