Chile celebra eficácia de 67% da CoronaVac como "divisor de águas" para vacina

Dave Sherwood e Aislinn Laing
·1 minuto de leitura
Companha de vacinação contra Covid no Chile

Por Dave Sherwood e Aislinn Laing

SANTIAGO (Reuters) - A CoronaVac, vacina contra Covid-19 da empresa chinesa Sinovac, mostrou-se 67% eficaz na prevenção de infecções sintomáticas em estudo feito com dados do mundo real, informou o governo do Chile nesta sexta-feira, em um potencial impulso para a vacina que está sob escrutínio sobre seu nível de proteção contra o vírus.

A vacina foi 85% eficaz na prevenção de hospitalizações e 80% eficaz na prevenção de mortes, disse o governo em um relatório, acrescentando que os dados devem ser um "divisor de águas" para a vacina em outros lugares também.

Rodrigo Yañez, vice-ministro do Comércio do Chile, que fechou um acordo com a Sinovac para sediar o ensaio clínico e comprar 60 milhões de doses do imunizante ao longo de três anos, disse que os resultados mostram que o Chile fez "a aposta certa".

"É um divisor de águas para essa vacina e acho que ratifica de forma bastante clara a discussão sobre sua eficácia", disse ele à Reuters, acrescentando que deve ajudar nas aprovações pela Organização Mundial da Saúde como o primeiro estudo do mundo real.

A divulgação dos dados torna o Chile um de poucos países, como Reino Unido e Israel, que usam campanhas de inoculação para vislumbrar o quão eficazes as vacinas são fora de testes clínicos controlados e quando confrontadas por variáveis imprevisíveis em sociedades.

O estudo prático de Israel sobre a eficácia da vacina da Pfizer analisou os resultados entre 1,2 milhão de pessoas, misturando as que foram imunizadas e as que não foram.

O estudo chileno examinou a eficácia da CoronaVac em 10,5 milhões de pessoas, novamente analisando as que foram imunizadas e as que não foram.

(Por Dave Sherwood)