Vacina contra covid-19 não causou reação em criança, aponta investigação

·2 min de leitura
Vacina contra covid-19 não causou reação em criança, aponta investigação
Vacina contra covid-19 não causou reação em criança, aponta investigação (Foto: Getty Images)
  • Reação da vacina: Imunizante não causou evento adverso em criança, aponta investigação

  • Reação adversa aconteceu 12 horas depois da garota receber o imunizante

  • SP divulgou hoje o cronograma de imunização infantil contra o coronavírus

A vacina da Pfizer não causou a parada cardíaca em uma menina de 10 anos em Lençóis Paulista, no interior de São Paulo. A conclusão da análise foi feita nesta quinta-feira (20) pelo Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde. A informação foi divulgada pela coluna da Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo

A investigação do evento adverso após a garota receber o imunizante contra a covid-19 contou com a participação de dez especialistas.

"Não existe relação causal entre a vacinação e o quadro clínico apresentado, portanto, o evento adverso pós-vacinação está descartado", diz a nota. Segundo a conclusão da análise, a criança possuía uma doença congênita rara, ainda desconhecida pela família, o que desencadeou o quadro clínico.

Ainda em nota, a Secretaria de Estado da Saúde reforçou a importância da vacinação e reafirmou que todas os imunizantes aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) “são seguros e eficazes”.

Entenda o que aconteceu

A prefeitura do município de Lençóis Paulista suspendeu na quarta (19) a vacinação infantil contra a covid-19 após uma criança de 10 anos sofrer uma parada cardíaca.

O incidente ocorreu 12 horas depois da garota ser vacinada com a versão pediátrica do imunizante da Pfizer.

A Anvisa liberou a vacinação de crianças de 5 a 11 anos com a Pfizer em dezembro. Hoje, a agência regulatória aprovou o uso da CoronaVac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos.

Calendário da vacinação infantil em SP

  • De 20 a 30 de janeiro - 1ª dose:

Crianças de 9 a 11 anos de idade;

Crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas;

De 31 de janeiro a 10 de fevereiro - 1ª dose:

Crianças de 5 a 8 anos de idade;

Crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiências, indígenas e quilombolas;

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos