Vacina contra a Covid-19: quem pode tomar a quinta dose no Rio?

Após nova alta nos casos, cidade do Rio de Janeiro vive procura mais intensa por vacina contra Covid-19 - Foto: Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)
Após nova alta nos casos, cidade do Rio de Janeiro vive procura mais intensa por vacina contra Covid-19 - Foto: Fabio Teixeira/Anadolu Agency via Getty Images)

Com o aumento dos casos de Covid-19 nas últimas semanas, cresceu a busca para regularizar o esquema vacinal. Na cidade do Rio, nos primeiros 20 dias de novembro foram aplicadas 116.750 doses de vacinas em adultos, mais que o dobro de todo outubro. Na cidade do Rio, estão aptas a tomar a quinta dose contra a Covid-19 apenas os idosos e os imunodeprimidos que receberam a quarta vacina há 10 meses ou mais.

Na noite desta terça-feira, 22 pessoas aguardavam um leito de Covid na rede pública da capital. Com 179 pessoas internadas, 62 em UTIs, o Rio chega a números próximos do final de junho, quando houve um repique de casos da doença. O aumento ocorre simultâneo com a circulação de novas subvariantes da cepa ômicron. O vírus sofreu uma mutação na proteína spike, que facilita a entrada da Covid-19 nas células humanas.

Em um alerta do Ministério da Saúde, a pasta explica que estudos sugerem um maior risco de reinfecção, mas não há dados que indiquem aumento da gravidade da doença.

Veja como está o calendário da vacinação contra a Covid-19 na cidade do Rio

  • Quem pode tomar a quinta dose?

Apenas os idosos e os imunodeprimidos que receberam a quarta vacina há 10 meses ou mais.

  • Quem pode tomar a quarta dose?

A quarta dose do imunizante pode ser aplicada a qualquer pessoa com 18 anos ou mais que tomou o primeiro reforço há pelo menos 4 meses.

  • Adolescentes podem tomar o reforço?

Desde maio, todos os com 12 a 17 anos podem receber a terceira dose da vacina contra a Covid-19. É preciso um intervalo de 4 meses após a segunda dose.

  • Bebês podem tomar a vacina?

A vacinação com a Pfizer infantil para crianças de 6 meses a 4 anos com comorbidades ou deficiência continua nesta terça-feira, 22 de novembro. O responsável deverá apresentar documento que comprove que a criança pertence a um desses grupos.