Vacina da AstraZeneca pode parar caso grave de variante sul-africana do coronavírus, diz líder do estudo

·1 minuto de leitura
Frasco de vacina Oxford/AstraZeneca contra Covid-19 em Basingstoke, no Reino Unido

LONDRES (Reuters) - Ainda há alguma esperança de que a vacina contra Covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford previna doenças graves causadas pela variante sul-africana do coronavírus, de acordo com o professor que descobriu que o imunizante tem impacto limitado para evitar casos leves causados pela variante.

A África do Sul anunciou no domingo a suspensão do uso do imunizante em seu programa de vacinação, depois que dados mostraram que ele dá proteção mínima contra infecções de leves a moderadas da variante do coronavírus que predomina no país.

Leia também:

Shabir Madhi, que liderou o estudo na África do Sul, disse que, quando analisado se a vacina evita doenças graves, o imunizante da AstraZeneca pode ser comparado ao da Johnson & Johnson, que se mostrou eficaz.

"Ainda há alguma esperança de que a vacina da AstraZeneca possa desempenhar tão bem quanto à da Johnson & Johnson em uma faixa etária diferente quanto a doenças graves", disse ele à BBC Radio.

(Reportagem de Kate Holton e Michael Holden)