Vacina da Covax Facility prevista para chegar ao Brasil em março atrasará

O Globo
·1 minuto de leitura

Uma parte das vacinas adquiridas por meio do consórcio Covax Facility com previsão para chegar em março vai atrasar. Até agora, somente 1 milhão do montante de 2,9 milhões de doses foram remetidas ao Brasil. O restante, cerca de 1,9 milhão, só deve ser integralmente enviada até maio.

A previsão de atraso foi noticiada pela Folha de S.Paulo. O Ministério da Saúde confirmou ao GLOBO que foi avisada pela direção da Covax Facility "sobre um possível atraso nas entregas de vacinas oriundas do consórcio. De acordo com a aliança global, as fabricantes de imunizantes ainda estão otimizando seus processos de produção".

Segundo a pasta, o consórcio informou que a entrega se dará "até maio". A vacina a ser enviada ao Brasil pela aliança global é da AstraZeneca, produzida na Coreia do Sul. A farmacêutica está com dificuldades para atender os países que têm cotas no consórcio.

Nesta quinta-feira, o governo federal divulgou nota sobre as primeiras remessas da vacina adquirida por meio do consórcio, da AstraZeneca, que serão distribuídas entre hoje e sábado, juntamente com cerca de 4 milhões de doses da CoronaVac, do Instituto Butantan. No total, o governo contratou contratou 42,5 milhões de doses via aliança global para receber até o fim de 2021.

"O Ministério da Saúde reforça e esclarece que o cronograma de entregas de doses de vacinas contra a Covid-19 é enviado pelos laboratórios fabricantes para a pasta e pode sofrer constantes alterações de acordo com a produção dos insumos", ressalta a pasta na nota sobre o atraso das doses da Covax Facility.