Vacina da Pfizer contra Covid é mais de 90% eficaz, apontam estudos da fase 3

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
People receives flu vaccine at the Museum of science and technology in Milan, Italy, Wednesday, Nov. 4, 2020. The museum offered its ample spaces to a hospital in Milan in order to help people keeping safe distance while receiving the vaccine. Health officials and medical groups are urging people to get either the flu shot or nasal spray, so that doctors and hospitals don’t face the extra strain of having to treat influenza in the midst of the coronavirus pandemic. (AP Photo/Luca Bruno)
Para confirmar sua taxa de eficácia, a empresa disse que vai continuar o estudo até que haja 164 casos de Covid-19 entre os participantes (Foto: AP Photo/Luca Bruno)

A vacina contra o coronavírus da Pfizer, desenvolvida em parceria com a alemã BioNTech é mais de 90% eficaz no combate à doença. De acordo com dados iniciais do estudo da fase 3 — a última fase dos experimentos —, divulgados nesta segunda-feira (9), as farmacêuticas até agora não encontraram nenhuma preocupação séria de segurança.

Segundo a Pfizer, a análise provisória foi conduzida após 94 participantes do estudo desenvolverem a Covid-19 e examinar quantos deles receberam a vacina em comparação com o placebo.

O próximo passo para confirmar sua taxa de eficácia, segundo a empresa, será continuar o estudo até que haja 164 casos de Covid-19 entre os participantes.

Leia também

Os dados ainda não foram publicados em revistas científicas, pois, segundo estudo, ainda não foram revisador por pares. Esta etapa é necessária para que sejam publicados em revista científica. Ainda de acordo com a Pfizer, essas etapas vão ocorrer assim que todos os resultados do estudo ficarem disponíveis.

Mesmo assim, as farmacêuticas disseram que esperam obter autorização de uso emergencial nos EUA ainda neste mês.

Fase 3

Nos testes de uma vacina — normalmente divididos em fase 1, 2, e 3 — os cientistas tentam identificar efeitos adversos graves e se a imunização foi capaz de induzir uma resposta imune, ou seja, uma resposta do sistema de defesa do corpo.

Os testes de fase 1 costumam envolver dezenas de voluntários; os de fase 2, centenas; e os de fase 3, milhares. Essas fases costumam ser conduzidas separadamente, mas, por causa da urgência em achar uma imunização da Covid-19, várias empresas têm realizado mais de uma etapa ao mesmo tempo.

Antes de começar os testes em humanos, as vacinas são testadas em animais – normalmente em camundongos e, depois, em macacos.