Vacina, ligação para fãs e mala com "chope": as últimas horas de Marília Mendonça

·3 min de leitura
A cantora Marília Mendonça - Reprodução/Instagram
A cantora Marília Mendonça - Reprodução/Instagram
  • Antes de embarcar, Marília Mendonça deixou filho com ex-companheiro e tomou vacina contra a covid

  • Marília morreu aos 26 anos e estava a caminho de um show em Piedade de Caratinga (MG)

  • Além da cantora, o piloto e mais três tripulantes morreram no acidente aéreo

Marília Mendonça registrou seus últimos momentos em vida na tarde da última sexta-feira (5). Os fãs puderam acompanhar nas redes sociais da cantora o embarque rumo a Piedade de Caratinga, interior de Minas Gerais, onde iria se apresentar no retorno dos shows presenciais. O voo e a carreira bem-sucedida da "rainha da sofrência" foram interrompidos a pouco mais de dois quilômetros do destino final, com a queda da aeronave e a morte de todos os cinco tripulantes do voo.

Antes de embarcar no avião bimotor, a cantora deixou o filho, Léo, sob os cuidados do pai do garotinho que completará dois anos em dezembro. "O carinho mais gostoso do mundo", escreveu o ex-companheiro de Marília, Murilo Huff, em vídeo brincando com o filho do casal.

Em seguida, a sertaneja compartilhou vídeos em uma academia e ligou para fãs para divulgar um novo clipe. Também recebeu a segunda dose da vacina contra a covid-19, em Aparecida de Goiânia (GO).

Henrique Bahia, ex-integrante da equipe de Cristiano Araújo (vítima de acidente automobilístico em junho de 2015), passou a trabalhar com Marília e era um dos ocupantes do avião bimotor. Antes do embarque, ele publicou stories brincando com a bagagem da amiga.

"Para onde você vai com essa mala? Para onde você está indo?", indagou o produtor, filmando os passos da cantora. "Vou para Minas, meu amigo! Partiu Minas!", respondeu Marília. "Você está mudada mesmo, carregando a mala", provocou o colega. "Essa mala está cheia de Potiguar", disse a artista, citando a marca de chope da qual era sócia ao lado da dupla Maiara & Maraisa.

Além de Marília e de Henrique Bahia, morreram o tio e assessor da cantora, Abicieli Silveira Dias Filho, o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto Tarciso Pessoa Viana.

O ACIDENTE

A aeronave alugada pela cantora caiu em Piedade de Caratinga, a 309 quilômetros de Belo Horizonte, e tinha a matrícula PT-ONJ. Segundo a Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais), o bimotor atingiu um cabo de uma torre de alta tensão antes de cair.

Os bombeiros tiveram dificuldade no resgate por conta das pedras escorregadias. É uma região de mata e com cachoeiras. Segundo informação da equipe local de socorristas, o tanque de combustível teria vazado e se espalhado, mas levado pela correnteza sem chance de incêndio.

A aeronave estava em situação regular e tinha autorização para circulação de Taxi aéreo, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

"Na ação inicial os investigadores identificam indícios, fotografam cenas, retiram partes da aeronave para análise, ouvem relatos de testemunhas, reúnem documentos, etc. Não existe um tempo previsto para essa atividade ocorrer, dependendo sempre da complexidade da ocorrência", afirmou a Aeronáutica, em nota.

A queda será investigada pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos), ligado à Força Aérea Brasileira (FAB). "A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes", informou órgão em nota.

Marilia deixa um filho de 1 ano e 10 meses chamado Léo. O bebê nasceu em dezembro de 2019 e a cantora passou três meses afastada dos palcos para cuidar da criança. Em março, ela voltou com a turnê "Todos os Cantos", mas precisou interromper os shows por causa da pandemia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos