Covid-19: Vacinação em São Paulo continua nesta segunda com 30 mil profissionais do Hospital das Clínicas

·2 minuto de leitura
Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images
Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images

A vacinação contra a Covid-19 no estado de São Paulo, iniciada no domingo (17), seguirá na manhã desta segunda-feira (18) no Hospital das Clínicas, na capital paulista. 30 mil profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia serão imunizados.

Logo após a Coronavac ser aprovada para uso emergencial pela Anvisa, pouco mais de cem pessoas foram vacinadas em São Paulo. A enfermeira Mônica Calazans foi a primeira pessoa vacinada no país ao lado de João Doria (PSDB), governador paulista.

Pressionado por outros governadores, Eduardo Pazuello, ministro da Saúde, cedeu e anunciou nesta segunda-feira que os estados ao redor do país podem começar suas campanhas de imunização a partir das 17h de hoje. Inicialmente, Pazuello havia estipulado o início da vacinação pelo país apenas na quarta-feira (20).

Leia também

Segundo o governo de São Paulo, os profissionais de saúde do complexo do Hospital das Clínicas serão convocados em horários separados para evitar aglomerações na hora de receberam o imunizante. Cada pessoa receberá uma dose da vacina e, depois de 21 dias, a segunda dose, garantindo assim a imunização completa.

Além da Coronavac, a Anvisa também aprovou o uso emergencial de duas milhões de doses da vacina da AstraZecena, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a Fiocruz. O imunizante de Oxford, no entanto, ainda não está no Brasil após fracasso da negociação empreendida pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido), que previa adquirir o lote da Índia.

Na manhã desta segunda-feira, caminhos refrigerados farão a distribuição das doses da Coronovac por todo o estado de São Paulo. Serão transportados também seringas e agulhas.

Instituições como o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, Botucatu e também o hospital de base de São José do Rio Preto devem receber doses dos imunizantes. As unidades foram selecionadas por registrarem o maior número de pacientes com Covid-19 em São Paulo.

O governo paulista espera vacinar ao longo da semana 60 mil funcionários da área de saúde.