Vagões salvos do desmanche viram cenário de exposição no interior de SP

RIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Trem mais famoso da extinta Estrada de Ferro Sorocabana, o icônico Ouro Verde é tema de uma exposição aberta nesta terça-feira (7), em Sorocaba, no interior de São Paulo, que só foi possível após os cinco carros de passageiros terem sido resgatados em diferentes pontos do estado.

Primeira composição da companhia a ser fabricada em aço e que era responsável pela ligação ferroviária entre a capital, Sorocaba e Assis, o Ouro Verde é visto pelo Movimento de Preservação Ferroviária - Sorocabana como emblemático na história das ferrovias no país.

Ele foi importante para o desenvolvimento econômico de todo o entorno das ferrovias, até chegar a Presidente Epitácio, última estação da Sorocabana, inaugurada em 1º de maio de 1922.

A exposição conta com 28 painéis que ocupam uma área de 100 m de extensão e que foram instalados dentro da maior atração da mostra, que são cinco vagões usados no Ouro Verde, fabricados em 1937 na Alemanha pela Linke-Hofmann-Werke.

Um dos carros de passageiros foi batizado de Raízes (carro bagagem-correio), enquanto os demais ganharam os nomes de Luxo (primeira classe), Declínio (segunda classe), Agonia (dormitório-salão) e Renascimento (restaurante).

Os cinco carros chegaram a Sorocaba numa operação que começou a ser montada no ano passado, quando eles foram resgatados em diferentes pontos de São Paulo e levados à cidade.

Já em Sorocaba, foram higienizados e passaram por um processo para estancar as corrosões. A restauração dos carros de passageiros faz parte de um futuro projeto, que dependerá da obtenção de recursos.

"O Ouro Verde por muito pouco não desapareceu. Reunido novamente, e agora salvo, ele volta a estar acessível", disse o jornalista Eric Mantuan, coordenador geral do projeto.

A exposição foi viabilizada por meio do Proac (Programa de Ação Cultural) da Secretaria de Cultura e Economia Criativa de São Paulo, com apoio de quatro empresas. O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) fez a cessão dos bens à associação de preservação.

A Estrada de Ferro Sorocabana foi inaugurada em 1875 e, há 78 anos, substituiu o óleo diesel e a lenha pela eletricidade como propulsora de suas locomotivas.

O sistema operou por 55 anos, até que em 1999 as locomotivas elétricas foram trocadas por diesel após o leilão feito pelo governo federal que resultou na desestatização da malha da já extinta RFFSA (Rede Ferroviária Federal S.A.).

Entre 1943 e 1948, a Sorocabana comprou 46 locomotivas elétricas do consórcio Electrical Export Corporation, que reunia a General Electric International e a Westinghouse Electric Company, para eletrificar a sua malha ferroviária entre as estações Júlio Prestes e Bernardino de Campos.

Exposição EFS OURO VERDE - 80 ANOS

Período: 9/6 a 10/9

Dias e horários: 5ª e 6ª, das 14h às 19h, e aos finais de semana e feriados, das 10h às 18h

Preço: entrada gratuita

Local: Centro de Memória Ferroviária / Estação Paula Souza

Endereço: rua Dr. Paula Souza, 420, centro, Sorocaba

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos