'Vai que cola': episódio especial marca homenagem a Paulo Gustavo em seu aniversário, agora Dia do Humor

·5 min de leitura

“Emocionante” e “difícil” foram algumas das palavras que o elenco do “Vai que cola” usou para descrever a gravação do especial de pré-estreia da nona temporada do programa do Multishow. O episódio — que vai ao ar hoje na TV e no YouTube, às 21h30 — faz uma homenagem a Paulo Gustavo, no dia em que o ator, que morreu em maio devido a complicações da Covid-19, faria 43 anos. Durante o programa, são exibidas num telão diversas cenas do artista — que integrou o elenco fixo da atração por quatro temporadas e marcou presença, com participações especiais, em todas as outras. No fim, o elenco se reúne para assistir a um clipe com diversas imagens do comediante, ao som de “Flutua”, de Johnny Hooker e Liniker. Entre risadas e lágrimas, o tributo termina em um abraço coletivo.

— Foi a primeira vez que choramos juntos. A gente estava gravando e de repente exibiam uma cena dele. Ele era muito intenso, era hiperativo.com.br@, tudo isso junto. Nosso amigo não teve tempo de tomar uma vacina, e nós temos a sorte de estarmos vivos — diz Cacau Protásio.

A amiga íntima e parceira de cena de Paulo, Samantha Schmütz, conta que, apesar de momentos tristes, a gravação também foi divertida.

— Foi incrível poder relembrar cenas em que nos divertimos juntos. A gente tinha intimidade na vida real, então isso ajudava muito nas cenas — lembra.

Catharina Abdalla, que interpreta Dona Jô, conta que trabalhar com Paulo era sempre uma surpresa:

— Eu tenho muito orgulho de ter feito inúmeras cenas com ele no “Vai que cola”. Era sempre um precipício, um desafio, e tudo dava certo. A gente sempre se divertia, e era um lugar de desconstrução o tempo inteiro.

No programa, Paulo Gustavo interpretava Valdomiro, que foi parar na pensão da Dona Jô para se esconder da Polícia Federal após se envolver em uma falcatrua. Em “O último golpe do Valdo”, — nome do episódio especial que será exibido hoje — são feitas retrospectivas com cenas do personagem. A temporada do humorístico, no entanto, tem estreia oficial no dia 1º de novembro, segunda-feira.

— A energia do Paulo está sempre presente, e é por ele e pelos fãs que eu sigo firme com minha arte. Eu sinto que ele de alguma forma me impulsiona — diz Marcus Majella, um dos melhores amigos do comediante.

Dia do Humor

Além de um episódio especial, Paulo Gustavo ganhou de aniversário o Dia do Humor. Como forma de reverenciar seu legado e toda a produção nacional do gênero, o Multishow e a família do ator propuseram a criação da data, a ser celebrada anualmente em 30 de outubro. A proposta foi aceita e entrou para o calendário oficial do estado do Rio de Janeiro: a notícia foi publicada no Diário Oficial da última terça-feira.

— As comédias, apesar de arrastarem milhões de espectadores aos cinemas e audiências significativas na TV e internet, não são muito valorizadas por prêmios e críticas. Era uma conversa que eu tinha sempre com Paulo. Ele não entendia, mas dizia que nosso maior prêmio era o público. Então, esse Dia do Humor vai lembrar a todos que o sorriso no rosto e a gargalhada podem mudar o dia ou a vida de uma pessoa para sempre — acredita Majella.

Nova temporada

A nona temporada começa com os personagens sofrendo um golpe de Valdo e sendo obrigados a se despedir do luxo do Leblon, onde moravam na temporada anterior, e voltar ao Méier, onde tudo começou. Indignada, a família retorna para a pensão da Dona Jô.

— Amo voltar para nossa casa, para o lugar que as pessoas adoram. Quando viajo, as pessoas perguntam: "Como é o Méier?" Tenho vontade de gravar um tour no bairro, a Terezinha apresentando o que tem ali, a gastronomia, a Dias da Cruz — conta Cacau Protásio.

Marcus Majella concorda que é bom estar de volta ao bairro e diz que o público pode esperar “ um surto coletivo”. Com um personagem que está sempre antenado nas tendências, Majella adianta o que aguardar de Ferdinando:

— Ferdinando está afiado, com figurinos exuberantes, e cada dia mais antenado no universo pop. Vai ter referência às Kardashians, à Britney, Cher e sobrou até pra Juliette (risos).

Há nove anos no ar como Jéssica, Samantha Schmutz, explica que para reinventar a personagem é preciso um equilíbrio entre inovar e manter a essência.

— Nós apostamos em novas funções, dentro do universo dela e das coisas que estão acontecendo no mundo. A Jessica está sempre super conectada — diz.

A intérprete da matriarca do grupo, Catharina Abdalla, destaca que, para ela, o programa não é sobre brilhar, mas sim sobre iluminar, uma vez que não há tempo de construção de persona, tudo acontece rápido.

— O que é mais importante para mim é a energia que eu levo para o programa. Para mim, vai além do julgamento do meu trabalho de atriz. O “Vai que cola” a cada ano é tudo novo, então o que eu tento levar uma empatia, uma luz, um carisma.

Além dos veteranos, a nova temporada chega com novos personagens. Carolzin, interpretada por Jeniffer Nascimento, é uma jovem empreendedora e afilhada de Terezinha, com discursos super modernos e feministas. Já Agnes Yolanda (Nany People) é a clássica perua que sonha com um Méier mais gourmetizado, e por isso, vira dupla infalível de Ferdinando. E Kevinho (Nando Rodrigues) é um ex-jogador de futebol frustrado que acaba trabalhando em uma agência de vigias noturno. Cissa Guimarães, Dudu Azevedo, Gil do Vigor, Jojo Todynho, Kaisar Dadou e Luís Roberto gravaram participações especiais na temporada.

— Eu, como Dona Jô, tenho a preocupação de receber (os novos personagens), de agregar quem está chegando. É uma pensão, ela tem que determinar um lugar para todo mundo que chega — explica Catharina Abdalla.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos