Vai a Veneza? Saiba como vai funcionar o sistema de reservas de visitação que começa em janeiro de 2023

Vai viajar a Veneza? Então se prepare para pagar pelo privilégio da visita a uma das mais belas cidades do mundo. Ah, e não se esqueça de garantir seu lugar.

A partir de janeiro de 2023, o turista será obrigado a fazer reserva mediante um novo sistema digital, e estará inclusive sujeito a pagar uma taxa de diária que varia entre três e dez euros, dependendo de quanta gente estiver por lá na época. A medida faz parte de um plano de controle das hordas que invadem e sobrecarregam a estrutura frágil da cidade.

Com isso, as autoridades terão condições de saber antecipadamente quantas pessoas devem esperar em determinado dia, podendo assim acionar funcionários e serviços de acordo com a demanda. Quanto maior for a antecedência da reserva, menor o valor da taxa.

— O processo faz parte da "revolução" efetuada no esquema de visita de Veneza e suas ilhas, cujo objetivo é equilibrar as necessidades dos moradores, dos turistas que pernoitam e de quem só quer passar o dia, que têm ritmos bem diferentes — explicou Simone Venturini, vereador responsável pelo turismo e pelo desenvolvimento econômico municipais, à imprensa em 1º de julho.

Antes da pandemia, a multidão de excursionistas e passageiros de cruzeiros já tinha transformado Veneza no melhor exemplo de "turismo excessivo", lotando as ruas estreitas de tal maneira que a polícia tinha de instituir fluxo de mão única. A variação nas estimativas anuais é absurda, com algumas mencionando 30 milhões e outras, números mais "modestos", como 12 milhões, mas, de uma forma ou de outra, as consequências para um município de 50 mil pessoas são, no mínimo, avassaladoras.

Praticamente todo mundo que visitar a cidade terá de registrar sua presença, ainda que nem todos fiquem obrigados a pagar a taxa — e entre estes estão as crianças com menos de seis anos, os convidados de moradores e os parentes dos detentos dos presídios locais. Os únicos isentos dos dois procedimentos são os que ali residem, trabalham ou estudam e os donos de imóvel (contanto que mantenham os impostos em dia).

Mas, apesar de dispensados, serão obrigados a provar que têm direito de estar na cidade — o que, segundo a Prefeitura, poderá ser feito por meio de um QR code. Os turistas com pernoite ficam livres porque a taxa já está incluída na diária do hotel.

Para proceder à verificação, as pessoas vão ser paradas aleatoriamente.

— Haverá de dez a 15 "controladores" na rua todo dia. Obviamente, a atitude não será invasiva como a de um Estado policial; os agentes serão educados, gentis, mas o fato é que haverá controle, sim, como também penalidades para quem estiver em situação irregular. A multa para quem transgredir a lei vai varia entre 50 e 300 euros, mais dez euros a título de "ingresso"; já quem for pego mentindo, alegando que tem parentes na cidade, por exemplo, pode ter de responder criminalmente. As autoridades ainda estão ajustando alguns detalhes, como os valores/dia e o limite diário de pessoas. A intenção é fazer com que os valores maiores da alta temporada estimulem o público a visitar em épocas mais tranquilas. De qualquer forma, Veneza continuará aberta — explicou Michele Zuin, vereador responsável pelo orçamento e pelas taxas.

Calcula-se que os custos de implantação e gestão do sistema sejam consideráveis, por isso a prefeitura sabe que as cobranças não irão além da recuperação do investimento — se sobrar algo, será usado para abater os impostos e as taxas de serviço dos moradores.

De acordo com Venturini, o esquema de reserva complementa o sistema de monitoramento que a Assembleia Municipal introduziu em 2021, com rastreio por intermédio dos dados de localização no celular, muito criticados por quem o compara ao Grande Irmão de Orwell:

— Veneza será a primeira cidade do mundo a utilizar um sistema dessa complexidade, e justamente por isso já espera encontrar problemas e alguns tropeços. Seria arrogante, ambicioso e estúpido demais achar que tudo vai funcionar perfeitamente desde o início, com um estalar de dedos. Claro que não! Terá de ser aperfeiçoado aos poucos, e estará em manutenção constante.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos