Vale tem interdição na barragem Xingu, com impacto em Timbopeba e Alegria

·1 minuto de leitura
Logo da Vale em instalações da companhia em Brumadinho, Minas Gerais

SÃO PAULO (Reuters) -A mineradora Vale recebeu notificação da Superintendência Regional do Trabalho para interdição de atividades em áreas próximas à barragem Xingu, da mina Alegria, o que levou à paralisação na circulação de trens em um ramal da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), no complexo de Mariana (MG).

A companhia disse em comunicado nesta sexta-feira, sem detalhar os motivos da interdição, que a medida impactará a usina de Timbopeba, que precisará ser temporariamente paralisada, com impactos negativos sobre a produção.

O impacto estimado é de 33 mil toneladas de finos e minério de ferro por dia, disse a Vale, que destacou ainda que "não há risco iminente de ruptura" na barragem Xingu.

"Adicionalmente, foram interditados alguns acessos internos da Mina Alegria, com impactos parciais na produção da usina estimados em 7,5 mil toneladas de finos de minério de ferro por dia", acrescentou a empresa.

Em paralelo, a Vale disse que buscará retomar a produção afetada, destacando ainda que a barragem Xingu tem sido monitorada diariamente e já teve moradores próximos removidos de sua chamada Zona de Autossalvamento (ZAS).

"A Vale está tomando todas as medidas necessárias para a retomada das atividades o mais breve possível, mantendo o foco nos cuidados necessários para garantir a segurança dos empregados e das comunidades localizadas no entorno de suas estruturas", afirmou.

A companhia destacou ainda que Xingu está incluída em um plano de descaracterização de barragens que tem sido conduzido pela companhia depois do desastre de Brumadinho, em janeiro de 2019.

(Por Luciano CostaEdição de Pedro Fonseca)