'Vamos atualizar o cadastro único e nada de pente-fino' diz Wellington Dias sobre Bolsa Família

Em seu discurso de posse nesta segunda-feira, o novo ministro do Desenvolvimento Social, Wellington Dias, afirmou que vai reformular o Bolsa Família e atualizar o Cadastro único.

— Sim, vamos reformular com muito diálogo o Bolsa Família e sei que na situação que se encontra não é uma tarefa simples, mas creio que é no diálogo que vamos encontrar a pactuação e dosagem certa. Sim, vamos fazer a atualização do cadastro único e nada de pente-fino - afirmou.

Em discurso de posse: Haddad diz que vai ‘arrumar a casa’ e prega compromisso com as contas públicas

'Irrecuperável': Medidas de última hora do governo Bolsonaro custarão de R$ 10 bi a R$ 15 bi, diz Haddad

E acrescentou:

— Sou da geração do tempo do piolho. Pente fino era para tirar piolho do cabelo. Imagine o Ibaneis, que está mais careca — brincou com o governador do DF — É política pública bem feita o que vamos fazer.

Dias agradeceu aos profissionais da área social em todo país. E disse que, independentemente dos partidos, todos devem estar juntos para passar por esse desafio.

— Neste mandato, a nossa missão é tirar o Brasil do Mapa da Fome pela segunda vez sob o comando do presidente Lula, este que é um dos maiores líderes desta causa no planeta. A reconstrução do Brasil passa também pela reconstrução de toda uma rede da assistência social.

Combustíveis: Desoneração mantém alívio tributário para gás de cozinha por um ano

Ele voltou a dizer que é preciso colocar "os pobres no orçamento":

— Colocar o povo no orçamento e de forma prioritária colocar os pobres no orçamento. Não deixar ninguém para trás, dar a mão a quem precisa e ninguém largar a mão de ninguém. Sei que essas duas frases foram muito repetidas durante a campanha, mas é um compromisso — afirmou.

Pix: Novas regras começam a valer nesta segunda-feira; entenda as mudanças

Em entrevista ao GLOBO no fim de semana, Wellington Dias disse ter uma agenda com municípios e estados para reestruturar a rede de assistência social no Brasil. O ministro afirmou ainda que será disponibilizado um aplicativo para que pessoas sem direito renunciem ao benefício, acrescentando que há “grandes irregularidades” no aumento no número de pessoas que moram sozinhas.

Isso ocorreu após o governo Jair Bolsonaro adotar um piso, hoje de R$ 600, para todos os beneficiários. Antes, famílias maiores recebiam mais. "Quero mobilizar os movimentos sociais, igrejas, empreendedores, para que possamos trazer essas pessoas o mais rapidamente possível para essa rede do Cadastro Único e garantir o Bolsa Família".

Haddad: Lula quer discutir imposto sobre combustíveis com nova diretoria da Petrobras

Em seu discurso, Wellington Dias elogiou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

— Tem uma música que diz que homem que é homem não chora. E eu discordo dela. Ontem (na posse do presidente) eu chorei e não foi só uma vez. Ontem foi um dia de muita emoção para todos nós. Não sei se vocês têm uma noção, mas a gente volta a ter um presidente da República que tem causas. A causa do Combate à fome, de trabalhar com prioridade para os que mais precisam, os mais pobres desse país.