Vantagem de Lula sobre Bolsonaro cai em estados-chave: veja números de março a julho

A maior mudança ocorreu em São Paulo, onde a vantagem de Lula sobre Bolsonaro caiu de 14 para cinco pontos entre março e julho deste ano (Fotomontagem: Yahoo Notícias/Douglas Magno - AFP via Getty Images/ REUTERS - Adriano Machado)
A maior mudança ocorreu em São Paulo, onde a vantagem de Lula sobre Bolsonaro caiu de 14 para cinco pontos entre março e julho deste ano (Fotomontagem: Yahoo Notícias/Douglas Magno - AFP via Getty Images/ REUTERS - Adriano Machado)

Três estados são cruciais para que o pré-candidato a presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantenha distância do seu adversário, o presidente e pré-candidato à reeleição pelo PL, Jair Bolsonaro, e tenha alguma chance de vencê-lo no primeiro turno: São Paulo, Rio e Minas Gerais. Esta é a avaliação de Felipe Nunes, professor de ciência política da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e diretor da Quaest.

Apesar de o petista liderar as pesquisas de intenção de voto nos três maiores colégios eleitorais do país, a vantagem sobre Bolsonaro vem diminuindo de março para cá, conforme mostra este levantamento feito pelo instituto de pesquisa:

A maior mudança ocorreu em São Paulo, onde a vantagem de Lula caiu de 14 para cinco pontos entre março e julho deste ano, segundo pesquisa Genial/Quaest. A situação acende um alerta para a campanha do ex-prefeito da capital paulista e pré-candidato petista ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT).

— É uma notícia ruim para o Haddad, que esperava que o desempenho do Lula fosse continuar acima do que historicamente sempre foi. Vale lembrar, o PT não vence uma eleição em São Paulo desde 2002. Essa queda (de 14 para cinco pontos) é um desafio para campanha no estado — diz Nunes.

Segundo o professor da UFMG, a eleição em São Paulo, Rio e Minas Gerais deve ser acompanhada mais de perto nas próximas semanas:

— É onde a eleição vai ser definida. Um empate em São Paulo e uma vitória em Minas e no Rio podem significar a vitória de Lula no primeiro turno.

Na Bahia, a vantagem de Lula sobre Bolsonaro continua alta, mas caiu de 47 para 43 no período, segundo o levantamento do instituto. Em Minas, apesar da queda, o petista mantém uma distância significativa de 18 pontos do atual chefe do Executivo.

O estado mineiro costuma ser um bom termômetro para as eleições presidenciais: desde a redemocratização, todos os presidentes eleitos venceram em Minas. Já no Rio, a vantagem continua estreita, assim como em pleitos passados: foi de oito para cinco pontos.

A queda da vantagem de Lula sobre Bolsonaro já era um movimento esperado por especialistas. Primeiro, por causa da saída do ex-juiz Sergio Moro (União Brasil) da disputa presidencial, o que rendeu mais intenções de voto para Bolsonaro.

E, segundo, pela histórica melhora de um presidente da República em seu último ano de mandato, quando há mais inauguração de obras e gastos na área social. Este ano, há ainda os efeitos esperados da PEC que aumenta o Auxílio Brasil e concede benefícios para diversas categorias.

— A queda é um processo natural. A questão agora é até que ponto essa diferença diminui nos estados-chave — afirma Nunes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos