Varíola dos macacos: Brasil investiga quarto caso suspeito da doença

A Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul informou nesta terça-feira que investiga um caso suspeito de varíola dos macacos. Trata-se de um adolescente, de 16 anos, residente em Porto Quijarro, na Bolívia. O jovem procurou atendimento médico no município de Corumbá, no dia 29 de maior, onde está internado e isolado.

O adolescente esteve no dia 26 de abril, em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, onde passou por uma consulta com um médico neurologista. Ele apresenta lesões avermelhadas/arroxeadas e lesões nos membros superiores evoluindo com disseminação para tronco e membros inferiores acometendo a boca e a região genital. Outras lesões inflamadas foram detectadas no couro cabeludo e tórax, além de febre, ínguas na cervical, axilar e virilha. Sua mãe afirmou que eles não tiveram contato com nenhum indivíduo com sintomas semelhantes quando foram a Santa Cruz de La Sierra.

O paciente chegou até Corumbá, no dia 29 de maio, onde passou por atendimento no Pronto Socorro e ficou em isolamento. No dia seguinte, foi 30 de maio, foi encaminhado para a Santa Casa, onde está internado. A Secretaria de Estado de Saúde do Mato Grosso do Sul informa que foram solicitados diversos exames para a investigação do caso.

Outros três casos da doença estão em investigação pelo Ministério da Saúde sendo um em Porto Alegre, um no Ceará e outro em Santa Catarina.

Mais de vinte países em lugares onde o vírus monkeypox não costuma circular já registraram casos desde o início do mês. A Europa é a região mais afetada, com quase 70% dos diagnósticos concentrados na Espanha, no Reino Unido e em Portugal. Além de nações europeias, Argentina, México, Estados Unidos, Canadá, Austrália, Israel e Emirados Árabes Unidos também relataram infecções.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos