Varíola dos macacos: comitês de emergência da Anvisa e do Ministério da Saúde começam a funcionar

O comitê emergencial da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Centro de Operações de Emergências (COE) do Ministério da Saúde contra a varíola dos macacos (ou monkeypox) entraram em funcionamento nesta sexta-feira, no mesmo dia da confirmação da primeira morte da doença no Brasil.

Amilcar Tanuri: 'Crianças são vulneráveis à varíola dos macacos', diz virologista da UFRJ

Covid-19, sarampo, caxumba e rubéola: Pesquisadores desenvolvem vacina infantil única para todas as doenças

Enquanto o primeiro grupo deverá atuar para acelerar aval a vacinas e medicamentos, além de pesquisas, o segundo deverá traçar plano de contingência contra a doença.

Segundo a pasta, o trabalho contará com integrantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), da Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) e do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O grupo da autarquia federal é composto por representante das gerências-gerais de Medicamentos (GGMED), de Produtos Biológicos, Radiofármacos, Sangue, Tecidos, Células, Órgãos e Produtos de Terapias Avançadas (GGBIO) e de Inspeção e Fiscalização Sanitária (GGFIS), além da Gerência de Farmacovigilância (GFARM) e da Coordenação de Pesquisa Clínica em Medicamentos e Produtos Biológicos (Copec). A coordenação se alternará entre a GGMED e a GGBIO.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos