Varíola dos macacos: Minas Gerais investiga suspeita de primeira morte do país

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) investiga uma suspeita de morte por varíola dos macacos no estado. Trata-se de uma pessoa residente em Uberlândia e que trabalha em Araguari, no Triângulo Mineiro. A morte suspeita de monkeypox foi notificada no último sábado, informou a SES-MG em nota.

Varíola dos macacos: Após três casos confirmados no Brasil, é hora de me preocupar?

Cobertura ao vivo: Acompanhe as últimas notícias sobre a varíola dos macacos no Brasil e no mundo

Pouco letal, com baixa transmissão: O que se sabe sobre varíola dos macacos

Até o momento, Minas Gerais ainda não tinha registrado nenhum caso de varíola dos macacos. Os três casos confirmados no Brasil foram registrados em São Paulo (2) e no Rio Grande do Sul.

Uma amostra coletada no paciente que morreu foi enviada para análise laboratorial da Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte. Segundo a SES-MG, todos os dados clínicos do paciente serão avaliados pela equipe técnica da Secretaria Estadual e do Ministério da Saúde para classificação e encerramento do caso.

A SES-MG, a Secretaria Regional de Saúde (SRS) de Uberlândia e as secretarias municipais de Saúde de Araguari e Uberlândia estão investigando o caso e monitorando os contatos próximos. A secretaria não divulgou mais informações sobre o paciente, a fim de proteger sua identificação.

Casos de varíola dos macacos no Brasil

Até o momento, o Brasil confirmou três casos de varíola dos macacos. Dois em São Paulo — um na capital paulista e outro em Vinhedo, no interior do estado — e o terceiro caso foi detectado no Rio Grande do Sul.

O primeiro caso de varíola dos macacos no Brasil, identificado em São Paulo (capital) na última quinta-feira, foi de um homem de 41 anos com histórico de viagem à Portugal e Espanha. O paciente está internado em isolamento no Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

O segundo caso, identificado em Vinhedo, interior de São Paulo, no último sábado, trata-se de um homem de 29 anos com histórico de viagem à Espanha. O caso foi avaliado por um laboratório espanhol, após o desembarque do homem no Brasil, ocorrido em 8 de junho. Ele está em isolamento domiciliar.

O terceiro caso, confirmado nesta segunda-feira, é de um homem de 51 anos que chegou em Porto Alegre (RS) no dia 10 de junho. A confirmação, feita após exames de laboratório processados em São Paulo, ocorreu após os 21 dias do ciclo da doença. O paciente, portanto, não apresenta mais risco de transmitir o vírus para outras pessoas. O paciente estava em isolamento domiciliar desde que chegou ao Brasil.

O Ministério da Saúde investiga outros seis casos suspeitos de varíola dos macacos no Brasil. Todos seguem em isolados e em monitoramento.

Leia a nota da SES-MG na íntegra

"A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que, no sábado (11/6), foi notificado um óbito suspeito de monkeypox (varíola do macaco) em Uberlândia. É o primeiro caso em investigação pela doença em Minas Gerais. Trata-se de uma pessoa residente em Uberlândia e que trabalha em Araguari, no Triângulo Mineiro. Dentre os contatos próximos, ainda não há nenhum outro caso sintomático.

Para o diagnóstico laboratorial, a SES-MG orientou que fosse coletada a amostra para a análise pela Fundação Ezequiel Dias (Funed). Todos os dados clínicos também serão avaliados pela equipe técnica da Secretaria Estadual e do Ministério da Saúde para classificação e encerramento do caso. A SES-MG, a SRS Uberlândia e as secretarias municipais de Saúde de Araguari e Uberlândia estão investigando o caso e monitorando os contatos próximos.

Demais dados quanto ao caso não serão divulgados para preservar a privacidade e individualidade do paciente, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGDP)."

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos