Varíola dos macacos: OMS diz estar preocupada com a disseminação da doença entre as crianças

O crescente surto de varíola dos macacos está despertando a preocupação de que o vírus possa se espalhar entre um grupo particularmente propenso a transmitir infecções contagiosas: as crianças.

Varíola dos macacos: Cientistas identificam dois novos sintomas do surto atual; saiba quais

Primeiro óbito na Europa: Espanha confirma primeira morte por varíola dos macacos na Europa, segunda fora da África

Especialistas da Organização Mundial da Saúde disseram nesta semana que estão observando o potencial de propagação entre as crianças “extremamente de perto”. Até o momento, mais de 80 crianças em vários países contraíram varíola, em grande parte por meio de contatos domésticos, disse à agência em uma entrevista coletiva .

Embora essa seja uma pequena fração dos mais de 18 mil casos de varíola em todo o mundo – com a maioria concentrada entre homens que fazem sexo com homens – a perspectiva de transmissão comunitária está aumentando o espectro de que o vírus pode se estabelecer em outras populações, como mulheres e crianças. A rápida disseminação da doença levou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, a declarar o surto uma emergência de saúde pública de interesse internacional.

— É provável que vejamos um número crescente de casos transmitidos em outros grupos sociais e ambientes — disse Jay Varma, professor de ciências da saúde populacional da Weill Cornell Medicine, em Nova York. — Nenhum grupo social é independente. Todos eles fazem uma ponte para outras redes.

Entrevista: 'Estamos vendo a ponta do iceberg', diz infectologista sobre primeira morte por varíola dos macacos

Qualquer pessoa pode contrair o vírus, que é caracterizado por feridas elevadas e às vezes causa inchaço dos gânglios linfáticos ou outros sintomas semelhantes aos da gripe. Embora seu principal modo de transmissão tenha sido as relações sexuais, pode se espalhar por outras formas de contato. Uma vez que alguém o tenha em uma casa, é especialmente fácil para o vírus infectar outras pessoas compartilhando roupas ou toalhas, tocando feridas ou contato prolongado de pele com pele, como abraços.

As crianças, que interagem constantemente nas escolas e creches, podem ser especialmente vulneráveis. Do jeito que está, eles pegam dezenas de vírus a cada ano, incluindo erupções cutâneas contagiosas, como a doença da mão, provocando algum medo de que, se a varíola começar a se espalhar em ambientes centrados nas crianças, pode ser difícil de conter.

Covid-19, sarampo, caxumba e rubéola: Pesquisadores desenvolvem vacina infantil única para todas as doenças

— É inevitável que algumas crianças sejam infectadas e frequentem a escola enquanto infectadas — disse Varma. — O que não sabemos é qual é a probabilidade de as crianças transmitirem para outras crianças enquanto estiverem na escola e, se a transmissão ocorrer, se será limitada a alguns casos ou causará um grande surto.

Autoridades de saúde dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA disseram na semana passada que estão cientes de dois casos pediátricos no país. Outro caso foi identificado em uma mulher grávida que deu à luz recentemente, disse John Brooks, diretor médico do CDC para varíola dos macacos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos