Varejo tem queda de 30% nas vendas durante fase emergencial em SP

Redação Finanças
·1 minuto de leitura
Impacto foi sentido entre 15 de março e 11 de abril, com a adoção de medidas mais restritivas para conter a covid-19 no estado
Impacto foi sentido entre 15 de março e 11 de abril, com a adoção de medidas mais restritivas para conter a covid-19 no estado
  • Vendas no varejo caíram 30% entre 15 de março e 11 de abril

  • No período, aconteceu a fase emergencial do Plano São Paulo para conter a covid-19

  • Medidas prejudicaram mais o comércio de rua

Durante a fase emergencial do Plano São Paulo, as vendas do varejo no estado caíram 30%, segundo a FCDLESP (Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo). As medidas mais restritivas adotadas entre 15 de março e 11 de abril em meio à pandemia da covid-19 prejudicaram especialmente o comércio de rua. As informações são da Exame.

Leia também:

A volta do auxílio emergencial e a retirada do pedido no estabelecimento são considerados alívios parciais por nove em cada dez varejistas, segundo o levantamento. 

Impactos significativos

Para o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff, “a fase emergencial trará impactos significativos para o balanço trimestral”. “Em tempos de total fechamento, é preciso manter a opção de retirada. Isso estimula o consumidor”, diz.