Vargas segue como o grande desejo de Sampaoli. Um alvo do Atlético para 2021

Eduardo Vargas está nos planos do Atlético para 2021 (Guilherme Hahn/AGIF)

Eduardo Vargas foi um dos nomes passados por Jorge Sampaoli aos diretores do Atlético-MG. O treinador argentino tem enorme confiança no atacante, com quem já trabalhou em outros dois momentos, na Universidad do Chile e também na seleção chilena. O clube mineiro até procurou o Tigres, do México, através do agente André Cury, porém os valores da operação fizeram o Atlético não avançar na conversa. Todavia, Vargas segue como o grande sonho de Sampaoli e é um nome que o técnico deseja para 2021.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

A situação do chileno foi explicada ao treinador, que entendeu o motivo pelo qual o Galo não deu sequência na negociação. Eduardo Vargas está avaliado em R$ 17,5 milhões, de acordo com o site especializado Transfermarkt. Além disso, o salário anual do atacante é de US$ 3 milhões, algo em torno de R$ 16 milhões, totalmente acima do que o Atlético teria condições de pagar.

Leia também:

Mas tudo pode mudar daqui alguns meses. O clube alvinegro pode encontrar condições bem mais favoráveis do que as atuais. E é o que esperam Jorge Sampaoli e a direção atleticana. Vargas tem vínculo com o Tigres até junho do ano que vem. Portanto, já em janeiro o atacante pode assinar um pré-contrato com qualquer outra equipe. Para atender aos desejos de seu treinador, o Atlético está disposto a pagar uma compensação ao clube mexicano, mas bem abaixo do valor natural do jogador.

Seria algo semelhante ao que fez com o volante Léo Sena, que tinha contrato com o Goiás somente até dezembro. Para não perder o jogador de graça no fim do ano e para o Atlético já contar com o reforço, os clubes acertaram uma taxa de transferência de R$ 4,4 milhões. Certamente um valor abaixo do que o Goiás cobraria em condições normais.

Outro fator que pode pesar para o Atlético é o cenário do futebol após a pandemia causada pelo coronavírus. A tendência é que os novos contratos dos atletas sejam com valores inferiores aos praticados atualmente, já que os clubes estão sofrendo bastante com a queda de receitas neste momento em que a bola não está rolando. O próprio Tigres, por exemplo, terá de reduzir custos. De acordo com a imprensa mexicana, os Felinos têm uma das maiores folhas salariais do país e devem fazer ajustes em breve.

Para completar, o Atlético projeta uma vaga na próxima Copa Libertadores, para ter ainda maior poder na negociação com Vargas. Terminar o Campeonato Brasileiro entre os quatro primeiros colocados é uma meta e determinante para que o clube mantenha o planejamento na próxima temporada. De acordo com a cotação atual do Dólar, jogar a fase de grupos da Copa Libertadores significa cerca de R$ 16 milhões de receita. Voltar ao principal torneio de clubes do continente representa mais dinheiro e um time mais atrativo para bons jogadores.

Veja mais sobre futebol mineiro no Blog de Victor Martins

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.