Variante Ômicron é dominante na Itália, diz entidade sanitária

·1 min de leitura
Pessoas em fila para vacinação contra a Covid-19 em Roma, na Itália

Por Emilio Parodi

MILÃO (Reuters) - A altamente contagiosa variante Ômicron do coronavírus é a cepa predominante hoje na Itália, afirmou o Instituto Nacional de Saúde (ISS) na sexta-feira, representando 81% dos casos em uma pesquisa relâmpago realizada no dia 3 de janeiro.

A pesquisa anterior havia mostrado que a Ômicron correspondia a 28% dos casos no dia 20 de dezembro.

"Na Itália, no dia 3 de janeiro, a variante Ômicron era a predominante, com uma prevalência estimada de 81%, enquanto a Delta estava em 18% das amostras testadas", disse o ISS em nota.

A análise se baseia em 2.632 amostras testadas em 120 laboratórios e coletadas em todas as 21 regiões italianas e províncias autônomas, disse o Instituto.

A Itália, primeiro país ocidental a ser atingido pela pandemia de Covid-19 em 2020, tem visto o aumento de novas infecções e mortes nas últimas semanas.

O país reportou 184.615 casos de Covid-19 na quinta-feira, contra 196.224 no dia anterior, segundo o Ministério de Saúde, enquanto o número de mortes cresceu de 313 para 316.

O país registrou 140.188 mortes ligadas à Covid-19 desde o surto inicial em fevereiro de 2020, a segunda maior marca na Europa, atrás apenas do Reino Unido, e a nona do planeta. O país já reportou 8,15 milhões de casos até hoje.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos