Variante ômicron desafia estratégia de “zero Covid” da China

·1 min de leitura

A variante ômicron do coronavírus, mais contagiosa, avança no mundo e não poupa a China, onde quase todos os dias são anunciados novos fechamentos em alguma metrópole do país, na tentativa de controlar a epidemia. A nova onda de contaminações desafia a estratégia chinesa de “zero Covid”, aplicada até o momento: assim que poucos casos são confirmados, o lockdow é aplicado local e temporariamente.

A última cidade a fechar suas ligações com as localidades vizinhas é Zhuhai, no sul, na fronteira com Macau. As autoridades anunciaram, na sexta-feira à noite (14), que detectaram uma pessoa com sintomas leves de covid-19, e outras seis assintomáticas, durante uma triagem em massa na população. A medida foi adotada depois do surgimento de um caso de coronavírus em um município vizinho.

Milhões de moradores de várias cidades foram confinados em suas casas, vários voos domésticos foram cancelados e algumas fábricas fecharam. O governo de Zhuhai pediu aos seus 2,4 milhões de habitantes que não deixem a cidade, "a menos que seja necessário". Aqueles que precisarem se deslocar, deverão apresentar um teste negativo para covid-19 feito nas últimas 24 horas.

Na manhã deste sábado (15), Shangai confirmou que cinco casos registrados na quinta-feira (13) também correspondem à variante. Imediatamente, a vida dos habitantes se tornou mais difícil: bairros estão confinados, as escolas fecharam e o acesso a certas cidades, como Pequim, ficou quase impossível.

Com informações da AFP


Leia mais

Leia também:
Covid-19: China isola cidade com mais de um milhão de pessoas por causa de três casos assintomáticos
13 milhões de chineses confinados na cidade de Xi'an afirmam não terem acesso a comida
Hong Kong proíbe escalas de passageiros de 150 países; Brasil está na lista

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos