Variante ômicron será a principal convidada do Natal, ironiza jornal francês

·1 min de leitura

A imprensa francesa desta segunda-feira (20) prevê que a rápida propagação da variante ômicron poderá atrapalhar as festas de fim de ano. As capas do principais jornais estampam a preocupação com a ausência da adoção de novas medidas por parte do governo francês, enquanto o resto da Europa aumenta as restrições.

"Natal Amargo" é a manchete do jornal Libération, que afirma que o principal convidado das festas de fim de ano será a Covid-19. O diário destaca que os últimos dados da agência de saúde pública da França não são nada animadores. Na última semana, a média de novos casos da doença se estabilizou em 52 mil por dia. "Um número que ainda deve subir muito já que a taxa de reprodução do vírus está hoje em 1,2, ou seja, cada doente contamina pouco mais do que uma pessoa", afirma a matéria.

Até o momento, a variante ômicron representa entre 7% e 10% dos testes positivos à Covid-19 na França. Mas, com a previsão de que se tornará dominante até meados de janeiro, o governo francês se viu obrigado a anunciar algumas medidas, consideradas insuficientes por boa parte da imprensa francesa. Entre os principais anúncios, está a intenção das autoridades de que o passaporte sanitário se transforme em passaporte da vacina, com o objetivo de incentivar os franceses ainda resistentes a se imunizarem.

Superlotação de hospitais


Leia mais

Leia também:
Covid-19: Paris cancela queima de fogos de réveillon na Champs-Elysées
Natal e Ano Novo sem festa: imprensa francesa destaca o fim de ano difícil dos franceses
Franceses chegam ao final do ano sofrendo de fadiga pandêmica

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos