Variante brasileira da covid-19 circula no Paraguai, alertam autoridades

·2 minuto de leitura
Trabalhadores da saúde atendem pacientes com covid-19 no Hospital de Clínicas de San Lorenzo, no Paraguai

A variante da covid-19 detectada pela primeira vez na cidade brasileira de Manaus já está circulando em várias regiões do Paraguai, informou o Ministério da Saúde, que atribuiu a essa causa o alto índice de infecções no país há semanas.

“Já tínhamos muitas suspeitas. Hoje, em diferentes departamentos do país, a variante brasileira está circulando. Em alguns laboratórios, a maioria dos casos pertence a essa variante”, disse Guillermo Sequera, diretor de Vigilância Sanitária.

O responsável destacou que a circulação desta variante é a causa do crescente número de casos de covid-19 registados no Paraguai nas últimas duas semanas e que tem gerado o colapso do sistema de saúde, com a ocupação total de leitos das unidades de terapia intensiva.

A cepa do coronavírus encontrada em Manaus, denominada P.1, "tem uma taxa de contágio quase três vezes maior do que a usual", disse Sequera, que esclareceu que as medidas de prevenção "são as mesmas".

“O cuidado continua o mesmo, até o tratamento que os pacientes recebem”, disse.

Para tentar conter a propagação do vírus, o governo anunciou na quarta-feira medidas para restringir a circulação deste sábado até domingo, 4 de abril, entre 20h00 e 05h00.

De uma média de menos de 10 mortes por dia em janeiro, as mortes subiram para entre 40 e 50 por dia nesta semana. Enquanto isso, o número médio de infecções aumentou para cerca de 2.500 por dia.

O aumento acentuado gerou descontentamento entre os paraguaios, muitos dos quais culpam o governo de Mario Abdo Benítez. A crise deixou o presidente à beira do impeachment, finalmente rejeitado no Congresso.

O número total de casos no país desde o início da pandemia chegou a 200.823 nesta quinta-feira, enquanto o número de mortes subiu para 3.869.

O Brasil, onde as mortes pelo vírus já ultrapassam 300 mil, se tornou uma ameaça para os países da região.

hro/mls/ap