Variante brasileira já responde por 64,4% dos casos de Covid-19 na cidade de São Paulo

Cleide Carvalho
·2 minuto de leitura

SÃOPAULO -- A variante P1 do coronavírus, identificada pela primeiravez em Manaus, já é responsável por 64,4% dos casos de Covid-19 nacapital paulista. Outros 6,8% correspondem a infecções causadaspela variante do Reino Unido. O estudo foi feito com 73 amostrascolhidas em testes de RT-PCR realizados em pacientes residentes nomunicípio, uma parceria da Prefeitura de São Paulo com o Institutode Medicina Tropical da Universidade de São Paulo.

Asinfecções pela nova variante, segundo o secretário municipal deSaúde, Edson Aparecido, explicam a gravidade dos casos e o perfil deinfectados. A maioria dos pacientes se concentra na faixa de 20 a 54anos de idade e 35% das pessoas que necessitam de internação em UTImorrem.

Avariante P1 foi detectada na cidade de São Paulo em 22 de fevereiropassado e hoje se distribuiu por todos os bairros.

Oestudo mostra ainda que 30% dos casos suspeitos de Covid-19 têmentrado na rede municipal de saúde pelos setores de urgência eemergência e os pacientes chegam, em média, no quinto ou sexto diaapós o aparecimento dos sintomas. Do total, 30% são hospitalizadose ficam internados em média 9,3 dias. As internações em UTI duram,em média, 8,8 dias.

Onovo quadro da Covid-19 no município levou a Secretaria de Saúde aalterar protocolos de atendimento. Sandra Maria Fonseca Sabino,coordenadora da rede de atenção básica do município, alertou apopulação para que busque atendimento médico, principalmente osmais jovens, logo nos primeiros sintomas, para que possam seracompanhados e ter o quadro monitorado antes do agravamento.

--A mudança é essencial para verificar cedo os pacientes que deverãoagravar - afirma a especialista.

Aosprimeiros sintomas os jovens devem procurar as unidades básicas desaúde, onde serão feitos teste de RT-PCR para identificar apresença do coronavírus e exames laboratoriais. No sexto dia osexames são repetidos e os pacientes devem ser acompanhadosdiariamente, em casa, com uso de oxímetro, para medir a taxa deoxigenação no sangue. Caso a taxa de oxigênio fique menor do que94, o paciente deve voltar à UBS para que o médico decida oencaminhamento. Pessoas com comorbidades serão encaminhadas para arede de atendimento emergencial

Osecretário Edson Aparecido afirmou que espera que o feriadoprolongado em São Paulo, que começou a vigorar nesta sexta-feira evai até o dia 5 de abril, ajude a reduzir a transmissão do vírus.

Nestasexta-feira, o estado de São Paulo registrou novo recorde de mortes na pandemia: 1.193

Paraevitar aglomerações, a Prefeitura de São Paulo vai estabelecerlocais diferentes para a vacinação contra a Covid-19 e a campanhade vacinação da gripe comum, que será iniciada em abril.