Variante de Manaus atinge 64,4% dos infectados de Covid-19 em São Paulo

Redação Notícias
·3 minuto de leitura
  • Variante de Manaus foi encontrada em mais de 64% dos casos positivos em São Paulo em março

  • A maioria dos pacientes está na faixa etária dos 20 aos 54 anos

  • Encontrada pela 1ª vez em fevereiro, a P1 está em todos os bairros da capital paulista

A variante P1 do coronavírus, identificada pela primeira vez em Manaus, já é responsável por 64,4% dos casos de Covid-19 na capital paulista. Outros 6,8% correspondem a infecções causadas pela variante do Reino Unido. 

O estudo foi feito com 73 amostras colhidas em testes de RT-PCR realizados em pacientes residentes no município, uma parceria da Prefeitura de São Paulo com o Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo.

Leia também:

As infecções pela nova variante, segundo o secretário municipal deSaúde, Edson Aparecido, explicam a gravidade dos casos e o perfil de infectados. A maioria dos pacientes se concentra na faixa de 20 a 54 anos de idade e 35% das pessoas que necessitam de internação em UTI morrem.

A variante P1 foi detectada na cidade de São Paulo em 22 de fevereiro passado e hoje se distribuiu por todos os bairros.

O estudo mostra ainda que 30% dos casos suspeitos de Covid-19 têm entrado na rede municipal de saúde pelos setores de urgência e emergência e os pacientes chegam, em média, no quinto ou sexto dia após o aparecimento dos sintomas. Do total, 30% são hospitalizados e ficam internados em média 9,3 dias. As internações em UTI duram, em média, 8,8 dias.

O novo quadro da Covid-19 no município levou a Secretaria de Saúde a alterar protocolos de atendimento. Sandra Maria Fonseca Sabino, coordenadora da rede de atenção básica do município, alertou a população para que busque atendimento médico, principalmente os mais jovens, logo nos primeiros sintomas, para que possam ser acompanhados e ter o quadro monitorado antes do agravamento.

—A mudança é essencial para verificar cedo os pacientes que deverão agravar - afirma a especialista.

Aos primeiros sintomas os jovens devem procurar as unidades básicas de saúde, onde serão feitos teste de RT-PCR para identificar a presença do coronavírus e exames laboratoriais. 

No sexto dia os exames são repetidos e os pacientes devem ser acompanhados diariamente, em casa, com uso de oxímetro, para medir a taxa de oxigenação no sangue. Caso a taxa de oxigênio fique menor do que94, o paciente deve voltar à UBS para que o médico decida o encaminhamento. Pessoas com comorbidades serão encaminhadas para a rede de atendimento emergencial

O secretário Edson Aparecido afirmou que espera que o feriado prolongado em São Paulo, que começou a vigorar nesta sexta-feira e vai até o dia 5 de abril, ajude a reduzir a transmissão do vírus.

Nesta sexta-feira, o estado de São Paulo registrou novo recorde de mortes na pandemia: 1.193

Para evitar aglomerações, a Prefeitura de São Paulo vai estabelecer locais diferentes para a vacinação contra a Covid-19 e a campanha de vacinação da gripe comum, que será iniciada em abril.

da agência O Globo