Varíola dos macacos: Brasil confirma sexto caso da doença

Varíola dos macacos: todos os casos confirmados no Brasil são importados. Foto: Getty Images.
Varíola dos macacos: todos os casos confirmados no Brasil são importados. Foto: Getty Images.
  • Paciente de 28 anos reside em Indaiatuba, interior de São Paulo

  • Ele viajou recentemente à Europa

  • Este é o 4º caso de varíola dos macacos confirmado no estado

O sexto caso de varíola dos macacos no Brasil foi confirmado nesta quinta-feira (16) pelo Ministério da Saúde. O paciente, de 28 anos, é do estado de São Paulo e viajou recentemente à Europa. Ele está em isolamento domiciliar.

O paciente se encontra estável e é monitorado, assim como seus contatos, pela secretaria de Saúde de Indaiatuba, onde reside. O caso foi confirmado por um teste RT-PCR.

Com esta confirmação, São Paulo chega a quatro casos confirmados da doença. Há ainda um caso no Rio Grande do Sul e outro no Rio de Janeiro. Todos os casos confirmados são importados. Além dos seis pacientes diagnosticados, outros 13 estão sendo analisados pelo Ministério da Saúde.

"O Ministério da Saúde informa o registro de novo caso importado de monkeypox notificado pelo estado de São Paulo ao CIEVS Nacional. O caso foi confirmado laboratorialmente por RT-PCR no dia 16 de junho pelo Instituto Adolf Lutz. Trata-se de um paciente residente no município de Indaiatuba, 28 anos, com histórico de viagem para a Europa. O paciente está em isolamento domiciliar e apresenta quadro clínico estável, sem complicações e sendo monitorado pelas Secretarias de Saúde do Estado e Município", diz a nota.

Recomendações da Anvisa

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota técnica sobre as medidas de prevenção e mitigação contra a varíola dos macacos. As orientações valem para hospitais, clínicas e serviços de saúde.

O principal ponto é que seja mantida uma distância mínima de um metro entre os leitos dos pacientes. A medida é importante porque a doença pode ser transmitida por gotículas do paciente infectado. O ideal é que o paciente seja mantido em um quarto privativo, com boa ventilação e portas fechadas.

Quem estiver infectado deve ficar isolado até que desapareçam as “crostas” das lesões, causadas pela varíola dos macacos. Quem estiver internado não poderá receber visitas ou ter acompanhantes, com o objetivo diminuir o contato do paciente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos