Vasco é irregular, mas consegue importante vitória sobre o Confiança e se aproxima do G4 da Série B

·3 minuto de leitura

Tudo no Batistão parecia ser extremamente favorável ao Vasco. Boa parte dos mais de quatro mil torcedores foi ao estádio apoiar o time carioca diante do Confiança. A equipe de Aracaju está brigando para não ser rebaixada à Série C. A vitória levaria o time de Fernando Diniz para a sexta posição na tabela, a cinco pontos da zona de classificação à primeira divisão. Mas não foi nada fácil para a equipe sair de Sergipe com os três pontos, chegar a três triunfos consecutivos e se aproximar dos líderes da Série B, neste domingo.

Agora, o time tem mais 10 partidas para tirar a diferença e conseguir o ascenso. Na próxima rodada, o adversário será o Sampaio Corrêa, no Castelão.

O Vasco quase tropeçou nas próprias pernas. O estilo de posse de bola de Diniz tem sido respeitado pelos jogadores. Mas parecia que eles não sabiam o que fazer com ela frente à marcação do adversário. No primeiro tempo, o Vasco teve 64% de domínio e apenas uma finalização.

De posse da bola, o Vasco concentrou o jogo sobretudo no meio-campo e de forma lenta. Esse foi o maior erro. O time encontrava uma barreira e ficava sem opção. O Confiança roubava a bola e descia em velocidade. Foram cinco chutes ao gol de Vanderlei, e alguns passaram realmente muito perto. A vitória parcial teria sido o resultado mais justo na primeira etapa.

A única finalização do Vasco, uma cabeçada de Morato, apontou o caminho para a vitória. Na primeira jogada invertida, Nenê cruzou para o atacante que teve espaço para cabecear.

No intervalo, Diniz conseguiu ajustar o time. Tirou o lateral Léo Matos e colocou o meio-campo Gabriel Pec. Bastaram 10 minutos de jogo para que o Vasco entrasse de verdade na partida. E, principalmente, Riquelme, que jogou isolado no primeiro tempo. Ele pôs uma bola na cabeça de Nenê e fez uma linda jogada, que deu novo ânimo ao time.

O Confiança, no entanto, estava mais atento. Poderia até ter saído na frente se a arbitragem tivesse marcado falta de Castan na área, mas o árbitro Raphael Claus, depois de acionar o VAR, não deu o pênalti.

Só que o Vasco soube se organizar e usar os espaços a seu favor. Soube rodar a bola e aproveitar a qualidade do seus homens de frente. Precisou de menos de 20 minutos para fazer uma boa vantagem no placar. Pec, que entrou para mudar a partida, tocou para Nenê cruzar na área. Cano fez o pivô, girou e abriu o placar no primeiro chute na direção do gol, aos 15 minutos.

Três minutos depois, a jogada se repetiu. Desta vez Pec cruzou e Ricardo Graça apenas empurrou a bola: 2 a 0.

O resultado parecia garantido e Diniz resolver reforçar o meio-campo com a entrada do volante Romulo no lugar de Morato. Mas o Confiança não se entregou. Acelerou o jogo e foi atrás do prejuízo. Conseguiu diminuiu a desvantagem aos 33, com Nirley, que aproveitou a saída ruim de Vanderlei. O time sergipano tentou o empate até o fim, mas o Vasco, aos trancos e barrancos, segurou a vitória.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos