Vasco anuncia as saídas de diretor Pássaro e técnico Fernando Diniz

·4 min de leitura
****ARQUIVO***OSASCO, SP, 29.0O4.2016 - O técnico Fernando Diniz, atual treinador do Vasco. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
****ARQUIVO***OSASCO, SP, 29.0O4.2016 - O técnico Fernando Diniz, atual treinador do Vasco. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) - Em comunicado oficial, o Vasco informou as saídas do técnico Fernando Diniz e do diretor-executivo de futebol, Alexandre Pássaro. No jogo da próxima segunda-feira (15), contra o Vila Nova, pela Série B, a equipe —que não tem mais chances de acesso— será comandada pelo auxiliar Fábio Cortez.

A assessoria de imprensa vascaína também comunicou que o presidente do clube, Jorge Salgado, irá realizar um pronunciamento em vídeo nesta sexta-feira (12) e Fernando Diniz concederá uma entrevista coletiva às 10h.

Na nota oficial, o Vasco agradeceu aos dois profissionais, e fez elogios ao trabalho realizado por Alexandre Pássaro:

"Nos pouco mais de dez meses em que esteve à frente do Futebol, Pássaro atuou de forma profissional e reestruturou inteiramente o Departamento, estabelecendo processos fundamentais para sua modernização e contribuindo para o aumento da saúde financeira do Clube. O Vasco da Gama agradece profundamente todo empenho e dedicação de Alexandre Pássaro e Fernando Diniz ao longo do período em que vestiram a camisa cruzmaltina, reconhecendo a importância de ambos no processo de reconstrução do Clube".

No caso de Alexandre Pássaro, o dirigente emitiu uma carta e destacou que já havia tomado a decisão de se desligar após cessarem as chances de acesso, mas que, nesta quinta (11), após reunião com a diretoria, o clube cruzmaltino entendeu que seria melhor antecipar esta saída antes mesmo do término da competição.

O dirigente foi um dos mais criticados pela torcida, conselheiros e alguns integrantes da diretoria por conta do insucesso no projeto de acesso. Embora sua habilidade para negociar tenha sido reconhecida, pesou contra ele a montagem do elenco, a insistência no mesmo e também sua entrevista após a goleada sofrida para o Botafogo, quando muitos entenderam que lhe faltou fazer uma autocrítica.

Confira a carta de Pássaro:

"Com a definição final e matemática da impossibilidade de acesso do CR Vasco da Gama, venho por meio desta comunicar a decisão que já venho amadurecendo há algumas semanas. Tal decisão seria a mesma também em caso de acesso e quem está ao meu lado tem conhecimento deste fato.

Aceitei o convite do Presidente Jorge Salgado em dezembro, com a expectativa de um projeto de continuidade na Série A. Mesmo com o rebaixamento da equipe de 2020, segui no projeto para, em paralelo, estruturar o Departamento de Futebol do Vasco e devolver a equipe à Série A.

A estruturação aconteceu, com muita luta e a muito custo, mesmo com as dificuldades que fazem parte do dia a dia do clube. O departamento agora é profissional, estruturado, com processos desenhados e enxuto. Com a transparência que me é característica, enviarei aos canais de comunicação os relatórios Operacionais e Administrativos do Departamento, apenas e tão somente para que tenham conhecimento.

A segunda - e mais importante parte - que era o acesso à Série A fracassou e por isso faço meu sincero pedido de desculpas à torcida vascaína e a todos os envolvidos. Não há argumento, particularidade ou evento que justifique esse fracasso esportivo. Espero que, com a ajuda do caminho pavimentado no Departamento, o Vasco esteja na Série A de 2023.

Sou grato pelas manifestações que recebi de roupeiros, seguranças, médicos, preparadores físicos, demais funcionários, atletas e comissão técnica nos últimos dias, pedindo a minha permanência - essas pessoas de dentro são as que têm mais conhecimento de tudo o que fizemos aqui. Eu, por outro lado, tenho a autocrítica de projetar o futuro - em quaisquer dos cenários - e estar consciente da minha decisão.

Por isso, se por um lado tenho a consciência tranquila de quem agiu sempre pensando no melhor para o Vasco, estou extremamente triste e machucado pelo resultado esportivo final. Por esse motivo entendo que a minha saída é melhor para o Vasco, para o Presidente Salgado e para a própria estrutura consolidada.

O Presidente já sabia da minha decisão e eu gostaria de continuar até o final do campeonato, mas então, hoje, o clube entendeu que era hora de antecipar as decisões de 2022 e assim concordamos.

Jorge Salgado, a quem terei gratidão, respeito e admiração intermináveis, é NECESSÁRIO ao Vasco e vai colher todos os frutos que tem plantado, ainda que debaixo de muita chuva e pouco sol.

Alexandre Pássaro"

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos