Vasco enfrenta o Tombense após nova viagem de ônibus pela Copa do Brasil

Vitor Seta
·2 minuto de leitura

A Copa do Brasil do Vasco tem sido, até o momento, uma jornada pelas rodovias do país — mais precisamente, de Minas Gerais. Por questões logísticas, novamente o clube optou por realizar seu deslocamento de ônibus. Foram pouco mais de oito horas, até Pedra Dourada, divisa com Tombos, em Minas Gerais, onde o time enfrenta o Tombense nesta quarta-feira, às 21h30, pela segunda fase da Copa do Brasil. O confronto é em jogo único, e empate leva a disputa da vaga para os pênaltis.

O elenco chegou à cidade na segunda-feira e finalizou na terça a preparação para a partida, em programação semelhante à realizada no jogo contra a Caldense, no último dia 18, também pela Copa do Brasil.

A opção pela viagem de ônibus com dois veículos no formato leito evita que o elenco frequente aviões e aeroportos lotados, bem como contorna um possível traslado de igual ou maior duração, em meio à retração de vôos domésticos no setor aéreo devido à pandemia da Covid-19.

A cidade de Tombos só possui acesso por via terrestre, e o aeroporto mais próximo fica em Muriaé, a 59 km de distância. Até mesmo clubes de Minas enfrentam dilemas para chegar ao município da Zona da Mata, que fica a seis horas de carro da capital Belo Horizonte.

Por outro lado, as pouco mais de oito horas de viagem inspiram alguns cuidados com os jogadores, segundo o fisioterapeuta da área esportiva Amândio Besteiro.

— No que diz respeito ao atleta, a questão é mais o condicionamento, o cansaço. Pode dar alguma rigidez muscular por ficar muito tempo parado na mesma posição — avalia.

Segundo Besteiro, é importante priorizar o descanso à noite para regenerar o físico e estimular os atletas a fazerem movimentos com pernas e panturrilhas para ativar a circulação durante viagens longas, mas não há grandes riscos de lesões relativas à jornada.

— Não há qualquer estudo que comprove que possa gerar uma lesão. No que afeta, às vezes, é o sistema imunológico e o cansaço— diz.

O especialista indica ainda em exercícios de baixa intensidade após a chegada, visando a aliviar os músculos e as articulações.

Os reforços Léo Jabá e Morato podem fazer suas estreias pelo Vasco. Eles viajaram com o elenco e estão à disposição de Marcelo Cabo.

— A expectativa é a melhor possível. Estava ansioso para esse momento — comemorou Léo Jabá.

O Vasco poupou alguns de seus nomes mais experientes contra o Bangu, no último sábado: Léo Matos, Leandro Castan, Ernando, Marquinhos Gabriel e Cano não estiveram em campo.

Artilheiro da equipe na última temporada, o argentino Germán Cano vem sendo acompanhado de perto pela fisiologia do clube desde o início do ano. O camisa 14 é a grande esperança de gols para a partida.