Vasco não vence o Corinthians fora de casa há mais de 13 anos; último triunfo ajudou a rebaixar os paulistas

O Globo
·1 minuto de leitura

Não seria exagero dizer que, desde a decisão do Mundial de Clubes em 2000, um confronto contra o Corinthians não é tão importante para a história do Vasco. Quando entrar em campo hoje, na Neo Química Arena, às 16h, o futuro a curto e longo prazo do clube estará na ponta das chuteiras dos jogadores. A vitória é a única opção para evitar o quarto rebaixamento. Um empate, apesar de não rebaixar matematicamente a equipe, o faz virtualmente: seria preciso tirar um saldo de mais de dez gols em relação ao Fortaleza, que foi goleado no sábado pelo Bahia por 4 a 0, resultado que deixou o cruz-maltino por um fio no Brasileirão.

Uma nova queda comprometeria as finanças do clube e a autoestima da torcida, que há pouco mais de um ano abraçou o clube como há muito não se via, com campanha de associação em massa e contribuição coletiva para o novo centro de treinamento da equipe.

Para ter a esperança de um final feliz no Brasileirão 2020, será preciso derrubar um tabu dos grandes. O Vasco não vence o Corinthians há mais de dez anos: a última vez foi pelo nacional de 2010. Desde então, foram 11 derrotas e sete empates.

Fora de casa, o Vasco não consegue bater os paulistas desde 2007. Esse confronto, por sinal, tinha as equipes em cenário oposto ao atual: o gol de Alan Kardec garantiu a vitória carioca no Pacaembu, já na 37ª rodada daquele Brasileirão. O Corinthians acabaria rebaixado naquele ano.

Entre uma disputa de título brasileiro em 2011 e um duelo épico nas quartas de final da Libertadores de 2012, ambos vencidos pelo Corinthians, o destino das equipes se entrelaça novamente. Se o Vasco quiser sorrir, precisa frear essa sequência de decepções.